A decoração de um ambiente afeta o modo como nos sentimos dentro dele. Embora o fato seja meio óbvio, nem sempre se dá a devida atenção a ele. Por isso, em um mundo onde o excesso de informações tem se tornado um motivo de estresse, optar por uma decoração minimalista é um modo de renovar a sua casa cuidando do seu bem-estar e da sua família.

A decoração minimalista valoriza a elegância e funcionalidade, porém, sem excessos. Por isso, o melhor modo de começar a colocá-la em prática é retirando objetos, em vez de colocar mais. Isso pode ser pensando a partir da função desempenhada por eles no ambiente, ou seja, aquilo que não é usado pode ser retirado.

Aderir a esse estilo de decoração é mais simples do que se imagina, além de trazer uma série de vantagens, como a otimização de espaços e a maior praticidade no dia a dia. Por isso, separamos algumas dicas de design de interiores bem úteis para você aderir à decoração minimalista. Boa leitura!

1. Cores claras nas paredes e pisos

Como estamos falando em retirar o excesso de informação, o primeiro ponto a ser pensando são as cores. Na decoração minimalista, a preferência é por tons neutros e claros. O branco é quase unânime, mas o preto e o cinza também podem ser usados na composição.

Isso não significa que os tons mais intensos estejam de fora, porém, eles devem ser usado com moderação, apenas para criar um contraponto em um detalhe ou outro, mas sempre sem excessos.

2. Móveis funcionais

A funcionalidade é praticamente um critério de escolha para os móveis, ou seja, se a função dele é só enfeitar, esqueça. As peças com mais de um modo de utilização, como as camas com baú por exemplo, são uma excelente opção para quem está buscando o minimalismo.

Além do mais, ao reduzir os itens de decoração somente àquilo que é útil, você elimine uma possível poluição visual causada pelo excesso de informações, deixando espaços livres para que cada móvel seja percebido não só pela sua utilidade, mas também por sua beleza.

3. Mobiliário sob medida

Para garantir a funcionalidade da qual acabamos de falar, além da otimização do espaço no ambiente, o ideal é que se dê preferência aos móveis sob medida. Eles também oferecem a vantagem da exclusividade, podendo ter o design customizado para atender às suas necessidades combinando com o seu gosto.

Dificilmente você encontrará, em uma loja de móveis prontos, um que se encaixe perfeitamente ao espaço reservado para ele, com as cores e estilo da sua decoração.

4. Layout integrado

As divisórias ou barreiras muitas vezes são desnecessárias e fazem com que o ambiente pareça menor do que realmente é. Eliminá-las dará amplitude ao local, além de melhorar a circulação de ar, a incidência de luz e passagem de pessoas.

Se for preciso, derrube paredes e integre cômodos como a cozinha, sala de jantar e sala de estar, por exemplo.

5. Menos é mais

Na hora de compor os objetos de decoração é quando se corre o risco de fugir do foco minimalista. Por isso, lembre-se sempre de que menos é mais. Nada de bibelôs e outros enfeites que não tenham uma função específica.

Os objetos isolados ganham um destaque impressionante, por exemplo, um único quadro bem iluminado na parede ou um vaso solitário em cima de uma mesa.

6. Projeto de iluminação

O projeto de iluminação é um detalhe estratégico nesse tipo de decoração, pois por meio dele será possível dar ainda mais destaque a certos objetos. Como o quadro na parede que acabamos de mencionar.

Mas tenha em mente que a decoração minimalista pede ambientes muito bem iluminados, de preferência com luz natural, deixando para a luz artificial a tarefa de criar pontos focais. Por isso, ao pensar em projeto de iluminação, não se deve levar em conta somente lustres, luminárias, spots etc., deve se considerar também, as janelas grandes e com vidros lisos que deem acesso à luz.

7. Organização de objetos

Umas das principais vantagens da decoração minimalista é justamente passar a sensação de um ambiente bem organizado, sem aquele excesso capaz de dar a impressão de bagunça. Por isso, manter essa organização, dando a cada objeto o seu devido lugar de acordo com a sua função e necessidade de acesso, é de extrema importância.

O princípio é o de que se tudo que compõe a decoração tem uma finalidade, deve estar fácil de ser localizado e acessível para quando for utilizado.

8. Tipos de materiais

Se teremos poucos móveis e objetos compondo a decoração é muito importante, também, que eles sejam bonitos e bem-acabados. Daí a necessidade de uma boa escolha dos materiais dos quais serão feitos.

Os revestimentos de gesso, cimento e resina estão em alta no estilo minimalista. Já para o mobiliário, o ideal é a madeira com acabamento em laca, além dos metais e vidros.

9. Desapego, economia e sustentabilidade

Renovar a casa com uma decoração minimalista também é uma excelente oportunidade para desapegar, eliminando o que está desagastado para dar lugar ao que é novo. Pode parecer clichê, mas isso recicla as energias da casa.

E por falar em reciclagem e energia, também é um bom momento para projetar ambientes que reduzam o consumo de energia elétrica, por exemplo, com iluminação natural e, ainda, que permitam o reuso de recursos naturais como a água. Além de economizar, você contribuirá para a preservação do planeta, aplicando o minimalismo também ao consumo.

Mais do que ser bonita, a decoração minimalista faz todo sentido, já que é objetiva e promove a praticidade para o dia a dia de quem utiliza o ambiente. Além disso, a manutenção é bem mais simples e o local parece estar sempre arrumado e organizado, pois os espaços são preenchidos de modo inteligente.

Portanto, adotar a decoração minimalista, além de renovar sua casa deixando-a mais bonita e organizada, também contribui para otimização do seu tempo e qualidade de vida.

E então, vamos colocar em prática a decoração minimalista na sua casa? O que acha de começar buscando inspiração com 8 dicas para um cozinha moderna?