O mercado de “imóveis verdes” cresce no país. Conheça as principais certificações e os motivos para embarcar em uma das principais tendências do setor

 

Sustentabilidade é a palavra de ordem no mercado imobiliário mundial. E no Brasil não é diferente. O Green Building Council (GBC Brasil), entidade que concede a certificação LEED (Leadership in Energy and Environmental Design) de eficiência energética, aponta que o Brasil já ocupa a 4ª colocação mundial no ranking de países com mais edifícios certificados.

Com 1.345 registros acumulados, sendo 533 com certificações emitidas, em 25 estados, o país está atrás apenas dos Estados Unidos, China e Índia. Veja aqui detalhes do ranking. 

Hoje existem diversos tipos de certificações nessa área, que visam atestar que o prédio é sustentável. Ou seja, desde a obra à operação e utilização, o edifício busca eficiência energética e uso de energia limpa, redução na geração de resíduos, maior resistência à deterioração e integração com a natureza.

Conciliar o desenvolvimento com redução do impacto ambiental, interesses coletivos e uma melhor experiência do usuário é uma prioridade do mercado imobiliário do futuro. E todos ganham com isso. Listamos a seguir algumas das principais vantagens de apostar nos empreendimentos sustentáveis.

 

Redução de custos

Como vimos, a eficiência energética é um dos pontos prioritários das construções sustentáveis. São diversas soluções, entre elas o uso de painéis de energia solar para geração de energia fotovoltaica, sistemas de isolamento térmico para reduzir o uso de aquecedores e ar-condicionado, projetos que maximizam o aproveitamento de luz natural.

Além disso, sistema de reaproveitamento da água de chuva para uso em banheiros e otimização dos processos de limpeza também impactam no consumo dos recursos hídricos. O resultado é uma redução nas contas de luz e água do condomínio e dos usuários, na ordem de 50%, se a preocupação com o tema começa já na construção.

 

Bem-estar do morador

Alavancar a qualidade de vida dos usuários do edifício é outra vantagem que pode passar despercebida. Empreendimentos sustentáveis promovem uma rotina mais saudável, integrada à natureza, com hortas e jardins comunitários, incentivo ao descarte correto de resíduos e de meios de transporte verdes como as bicicletas entre torres e espaços.

Além disso, o uso de estratégias para melhorar a climatização e o aproveitamento da luz natural traz conforto técnico e visual, o que também impacta positivamente no bem-estar dos moradores.

 

Aumento de lucro

O custo é um fator que pode espantar à primeira vista os empreendedores, mas não deveria. Investir em imóveis com certificações ambientais é uma garantia de potencialização de lucros em médio e longo prazo. Embora a construção de um edifício sustentável tenha um custo ligeiramente maior, entre 2 e 7% em relação à engenharia tradicional, o tempo de retorno do investimento pode ser reduzido em mais de 50%, segundo estudos.

O GBC Brasil, aponta uma valorização de 4 a 8% no metro quadrado na hora de negociar o aluguel. Uma pesquisa focada nos edifícios corporativos de São Paulo com certificação LEED (GBC), que considerou 2.182 empreendimentos entre o primeiro trimestre de 2010 e o terceiro trimestre de 2014, apontou a valorização do m² para contratos de aluguel. Os aluguéis médios por m² de edifícios certificados foram R$43,45 superiores aos prédios disponíveis sem certificação. 

O gráfico abaixo mostra o comparativo dos edifícios com certificação em relação ao restante do mercado no terceiro trimestre de 2014.

 

 

A rentabilidade real de um edifício sustentável, como aponta o site Sustentar Aqui, supera até os investimentos no mercado de ações.

 

Os principais certificados

Veja quais são: 

Selo LEED: É um dos maiores do mundo, com um olhar mais abrangente para a sustentabilidade do edifício como um todo. São diversas categorias, e cada selo é dividido entre certificado, selo prata, ouro ou platina. Saiba mais

Selo Procel Edificações: Emitido pela Petrobras, atesta a eficiência energética da obra. Atualmente, apenas cinco projetos no Brasil possuem o certificado. Saiba mais

Certificação AQUA-HQE: Desenvolvida pela Escola Politécnica da USP e emitida pela Fundação Vanzolini, essa certificação é adaptada da metodologia francesa HQE – Haute Qualité Environnemental. A entidade avalia se a edificação proporciona um ambiente saudável, confortável e amigável ao meio ambiente. Saiba mais

Certificado Well: É o primeiro focado na saúde e no bem-estar humano. Para além dos números de impacto ambiental, essa certificação avalia o impacto destas mudanças na vida dos usuários do prédio. Saiba mais

 

GBC Condomínio: Semelhante ao LEED e fornecido pela mesma empresa, abrange oito domínios, do uso eficiente de materiais e recursos na construção ao impacto social. Saiba mais

 

Lançamentos com recursos sustentáveis ou construídos por incorporadoras com certificação de sustentabilidade

 

Hóriz 

Hóriz Ibirapuera - Foto da fachada do empreendimento
Apartamento | Ibirapuera | São Paulo

Um projeto incomparável, que integra arquitetura, natureza e bem-estar. Localizado na Rua Manuel da Nóbrega, no bairro do Ibirapuera, um dos bairros mais desejados de São Paulo, destino de quem busca tradição, conforto e qualidade de vida, com vista de 270º e distante apenas a 300 metros do Parque do Ibirapuera.

 

Praça Faria Lima

Praça Faria Lima - Foto do gardem
Apartamento | Vila Olímpia | São Paulo

Criação de um dos escritórios de arquitetura mais conceituados do mercado imobiliário, a Athié Wohnrath, que prima pelo luxo e inovação nos seus projetos, o Praça Faria Lima conta com opções plantas flexíveis e apartamentos de 226 a 407 m² cercados de verde de cima a baixo. Um empreendimento com um jardim vertical, uma arquitetura emocional para você viver seu conceito pessoal em uma localização icônica de SP. A A\W possui certificação ISO 14001, norma que garante que as medidas relacionadas à gestão ambiental estejam dentro de um sistema de gestão estruturado e integrado e a empresa tenha uma atuação ambientalmente responsável.

 

FUNCHAL 641

FUNCHAL 641 - Foto do living
Apartamento | Vila Olímpia | São Paulo

Realização da incorporadora Stan, o Funchal 641 possui a certificação Carbon Control, um iniciativa pioneira da Stan para neutralizar a emissão de CO² emitido durante o processo construtivo do empreendimento. 

Considerado um dos mais modernos e sofisticados complexos imobiliários da região, o Funchal 641 oferece apartamentos com 2 e 3 suítes de 108 a 143m², studios e apartamentos de 1 dormitório com 32m² a 47m² em um condomínio com amplo lazer e serviços.

 

Praça Lindenberg Itaim 

Praça Lindenberg Itaim  - Foto do imóvel, a sala de estar integrada a cozinha
Apartamento | Itaim | São Paulo

 

Novo projeto da incorporadora Lindenberg, que é símbolo de refinamento em São Paulo, o Praça Lindenberg Itaim reúne as características de empreendimento de altíssimo padrão para apartamentos de tamanho médios, com boa localização, garantia de revenda, solidez e que tende a se valorizar com o tempo.

 

“Foi pensando em aliar essas características, reunindo ainda comodidades tecnológicas e recursos sustentáveis, que desenvolvemos o projeto da Praça Lindenberg”, conta Adolpho Lindenberg Filho, diretor da construtora Lindenberg.

 

Localizado entre o Parque Ibirapuera e do Povo, o Praça Lindenberg Itaim tem no bairro a melhor infraestrutura da cidade. Apartamentos exclusivos de duas e três suítes, com plantas e detalhes únicos. Possui toda qualidade e tradição Lindenberg com projeto de Pablo Slemenson, paisagismo de Benedito Abbud e interiores de João Armentano. Área de lazer completa com salão de festas gourmet, fitness, espaço kids e piscina com raia de 25 metros, além de mais de 1000 metros de área verde.

 

Quer saber mais sobre imóveis com recursos sustentáveis? Entre em contato com a Bossa Nova e fale com um de nossos consultores. 

 

Leia também
10 imóveis que aceitam permuta
12 imóveis com potencial de valorização
Cresce a procura por imóveis em Portugal e nos Estados Unidos
Aumentam os empreendimentos com oferta de serviços pay per use
Comprar para alugar e investir rende mais que aplicações financeiras