Se para um comprador de imóveis é importante realizar um planejamento financeiro, para o vendedor é importante manter a valorização de seus imóveis. Isso porque as estruturas sofrem impacto do tempo e do uso. Realizar reformas é a principal maneira de manter seu imóvel valorizado.

Porém, existem outras atitudes que devem ser tomadas para diminuir os riscos dos investimentos em mercado imobiliário. Continue a leitura do nosso artigo e conheça dicas importantes e valiosas para manter a valorização de imóveis!

1. Previna-se

É importante ter atitude proativa para evitar desgastes desnecessários no imóvel que é habitado. E mesmo para aqueles sem habitação, é possível agendar um tempo na rotina e realizar visitas de inspeção, focando seu olhar para possíveis problemas.

A manutenção preventiva tem duas funções importantes para o vendedor: evitar surgimento de problemas que poderiam ser prevenidos e não exigir muita demanda na reforma geral antes da venda. Veja alguns pontos que devem ser observados durante essa vistoria:

  • torneiras que continuam pingando ao serem fechadas;
  • lâmpadas que piscam ao serem ligadas;
  • portas internas que não fecham completamente;
  • portas externas com desgaste devido a sol e chuva;
  • descargas sanitárias com vazamento;
  • vidros trincados, fechaduras e puxadores quebrados;
  • janelas com dificuldade para serem abertas ou fechadas, dobradiças que “arranham”;
  • observar manchas para descobrir infiltrações;
  • adornos e objetos metálicos enferrujados ou emperrados;
  • prevenção de cupim nas aberturas e acabamentos em madeira;
  • substituição de acabamentos em madeira que já foram tomados por cupim.

2. Mantenha contas e documentos em dia

É comum que os imóveis vazios tenham contas atrasadas, justamente por não receberem visitas constantes de seus proprietários. Acompanhando a sua visita para prevenir problemas, como dito na dica anterior, aproveite para reunir correspondências e verificar as contas designadas àquele endereço.

Contas em atraso, como TV a cabo, internet, luz, água, gás e, até mesmo, condomínio podem impedir a transação de compra e venda do imóvel. Lembrando que, o último item — condomínio — pode levar o imóvel a leilão para quitação da dívida. E quando isso ocorre, seu valor é reduzido drasticamente, pois a dívida é considerada uma desvalorização de imóvel.

Além disso, aqui vale um lembrete: caso saia de férias ou vá deixar o imóvel vazio, lembre-se de suspender os serviços citados acima e de adiantar o pagamento do condomínio.

Outro ponto importante e bastante complicado, até mesmo para as residências habitadas, são os impostos. Verifique junto à autarquia da prefeitura responsável pela região onde o imóvel está localizado e tome conhecimento das possíveis regularizações, bem como dos valores atualizados de IPTU (Imposto Predial Territorial Urbano) e taxa de marinha.

A documentação necessária para oficializar a venda de um imóvel é a escritura, portanto, não é qualquer contrato feito entre duas pessoas. É importante que esta documentação esteja no nome de quem irá efetuar a venda — o proprietário — e que todo o projeto da residência, incluindo ampliações e adesões de terreno, esteja aprovado juntamente com a prefeitura.

Esse processo de validação e aprovação é exigido por lei para garantir a atualização do IPTU. Caso esse processo não seja realizado, pode ser considerado crime de evasão fiscal, além de gerar multa que, muitas vezes, pode ultrapassar o valor original do imóvel.

3. Priorize tarefas

Antes de qualquer mudança na estrutura da residência, pense em todas as tarefas necessárias para uma reforma e priorize-as de acordo com alguns critérios. Eles podem ser:

  • estruturais: deixando as mudanças de infraestrutura (instalações elétricas, hidráulicas e a gás) em primeiro lugar, decorações e paisagismos para segundo plano. Vale lembrar que qualquer estrutura que receba contato direto da água, como lajes, coberturas e piscinas, devem ser prioritárias para vistorias e reformas;
  • segurança: dependendo do estado do imóvel, é prudente focar nos pontos mais arriscados para a segurança da habitação, como dedetização dos ambientes, verificação das instalações elétricas e a gás, eliminação de mofos e inspeções de infiltrações na estrutura;
  • funcionalidade: olhe bem os ambientes e veja suas funcionalidades e limitações para providenciar possíveis mudanças antes que seja tarde demais. Uma bancada construída onde deveria haver passagem aberta ou aberturas em posições desfavoráveis à ventilação e iluminação são alguns exemplos de mudanças que devem ser percebidas antes do início das reformas.

4. Pense no planejado

Pode parecer estranho, mas é isso mesmo. Os móveis planejados agregam valor imobiliário e dão um toque de requinte ao ambiente. Isso desde que não sejam muito personalizados, pois podem desagradar compradores em potencial. O ideal é pensar nas medidas padrões para a maioria dos eletrodomésticos e manter um estilo mais casual ou simples, porém adequado ao valor financeiro da residência.

A ideia é deixar o recinto falar por si, mostrando para quem o observa, sua funcionalidade e potencial como ambiente primordial na residência. As cozinhas, juntamente com as salas de jantar, são ambientes de integração familiar. Por isso, são valorizados das mais variadas maneiras por todo tipo de pessoa.

Então, não limite o imaginário de quem fará as visitas pensando em comprar sua casa. Eles irão imaginar-se morando e fazendo as rotinas mais variadas ali, com a finalidade de sentirem-se confortáveis e decidirem fechar negócio. Para valorizar o imóvel, é preciso evitar a personalização muito pessoal dos cômodos, como pôsteres musicais, fotos íntimas e familiares, objetos de torcida esportiva e coleções religiosas.

5. Use a iluminação como vantagem

A iluminação pode ser usada estrategicamente para evidenciar pontos importantes da residência, como corredores decorados com peças artísticas. Além de poder ser utilizada para transmitir sensações que servem de gatilhos a lembranças, aguçando o imaginário do comprador em potencial. Para este exemplo, podemos citar uma biblioteca com iluminação indireta, deixando a sensação de ambiente calmo e relaxante.

Este tipo de trabalho é feito no acabamento das reformas, incluindo gesso tanto no teto quanto em paredes onde serão embutidas as lâmpadas do ambiente. Este tipo de finalização é feita rapidamente e agrega elegância aos cômodos.

Já para ambientes com destaque, como o jardim e piscina particular, o ideal é utilizar luz direta, com foco. Pois são ambientes que exigem uma boa iluminação para serem utilizados durante o dia inteiro, além de serem requisitos para a segurança desses locais.

6. Planeje a decoração

Se for bem pensada, a decoração dos ambientes poderá ser uma grande aliada para agregar valor ao imóvel. É possível combinar estilos ou, até mesmo, focar em um design único que comporte todos os cômodos. A escolha é sua, mas é importante contar uma história única de como essa casa pode se conectar com qualquer pessoa.

Veja exemplos de decorações e designs planejados para aumentar a valorização de imóveis:

  • pense na localização do seu imóvel e tente produzir vistas panorâmicas. Talvez seja necessário uma parede em vidro, mostrando o horizonte da cidade. Ou ainda um andar elevado com pilares expostos para valorizar a paisagem natural;
  • cores no efeito faded são ótimas para ambientes tranquilos, como os quartos, bibliotecas e salas de leitura;
  • abuse de estilos focados em madeira, pedra ou metal, pois são materiais que têm alta durabilidade e podem ser utilizados para realçar peças artísticas ou separar ambientes em aberturas e pisos da residência.

Se você está avaliando seus investimentos, sabe que a depreciação é inimiga da valorização de imóveis. Portanto, programe uma reforma preventiva para evitar dores de cabeça e surpresas desagradáveis em uma venda futura. Não esqueça da documentação e contas dos imóveis, pois é fundamental que estejam em dia para a transferência de escritura.

Gostou do nosso artigo sobre valorização de imóveis? Então, não deixe de compartilhá-lo nas redes sociais com seus amigos e familiares!