O mercado imobiliário está cheio de oportunidades para quem deseja adquirir uma propriedade. Tanto é assim que ele vem despontando como um setor bastante promissor da economia. O que não faltam são boas opções de imóveis disponíveis para compra.

Nesse sentido, tão importante quanto organizar um planejamento financeiro adequado é saber como comprar um imóvel. Trata-se de uma decisão muito importante e que precisa ser tomada com o devido cuidado e conhecimento prévio para evitar prejuízos e arrependimentos no futuro.

Está em busca de um lugar para morar? Vamos apresentar um passo a passo completo de como comprar um imóvel para você acertar de vez na sua escolha. Acompanhe a leitura!

1. Planeje o orçamento

Antes de começar a procurar pelo imóvel, de fato, é importante analisar as suas economias e definir o valor que você está disposto a investir no pagamento da propriedade.

Por isso, tenha o orçamento bem claro. Tenha em mente que a compra de um imóvel significa um compromisso importante com as suas finanças. Planeje as despesas e saiba o limite orçamentário. Faça uma lista com seus ganhos e gastos mensais e analise se o investimento cabe no seu bolso.

Caso sinta necessidade, conte com os serviços de um profissional. Ele pode apresentar conselhos e auxiliá-lo durante a compra.

2. Conheça os custos que estão envolvidos na transação

A compra e venda de um imóvel envolve uma série de despesas — custos cartorários, imposto de transmissão (ITBI) etc. Diante desse cenário, é importante ter ciência do valor aproximado das despesas que terão que ser desembolsadas durante todo o processo. Esse conhecimento prévio evita surpresas desagradáveis — necessidade de reformas no ambiente, por exemplo — e até mesmo problemas sérios decorrentes da inadimplência.

Nesse sentido, é importante fazer uma visita ao imóvel antes de qualquer fechamento do contrato. Durante a visita, o interessado na compra deve fazer uma análise minuciosa das instalações do ambiente. A inspeção detalhada identifica eventuais custos de reparação que não estavam previstos originariamente no orçamento.

Dessa forma, ele pode verificar as condições estruturais da propriedade — fiação elétrica, sistema hidráulico, pintura, ventilação, iluminação, pisos e azulejos, janelas e portas, infiltrações, mofos etc.

3. Defina a forma de pagamento

Como uma forma de estimular o crescimento do setor imobiliário e incentivar as pessoas a investirem em imóveis, as imobiliárias têm oferecido diversas formas de pagamento. E aí surge a dúvida sobre qual é a melhor opção para quitar a propriedade.

É importante ter em mente que a escolha vai depender, principalmente, da sua situação financeira. Além disso, a forma de pagamento vai definir o procedimento de obtenção do imóvel e determinar o tipo de documentação necessária. Por isso, analise cada proposta e escolha aquela que se adapte melhor às suas condições financeiras.

As principais formas de pagamento são as seguintes: à vista, consórcio e financiamento.

Pagamento à vista

Se você já tem todo o dinheiro disponível, fazer o pagamento à vista é, sem dúvida, a opção mais vantajosa. Isso porque as empresas costumam oferecer descontos bastante atraentes para os compradores que optam por esse tipo de quitação do imóvel.

Além disso, conheça outras vantagens de realizar o pagamento à vista:

  • poder de negociação maior;
  • não há o comprometimento da renda com as prestações mensais, uma vez que a reserva financeira já existe;
  • aproveitar demais tipos de ofertas.

Consórcio imobiliário

O consórcio de imóveis permite que, todos os meses, os participantes tenham a chance de ser contemplados com sorteios que garantirão o recebimento e pagamento do valor referente ao imóvel, mediante a aprovação da análise de crédito.

Nesse sentido, o consórcio consiste em uma modalidade de compra do imóvel de maneira planejada. Por meio desse tipo, o comprador terá acesso ao valor correspondente à propriedade desejada, que será dividido em parcelas mensais.

Financiamento imobiliário

O financiamento imobiliário é uma modalidade de empréstimo. Esse procedimento requer a aprovação da avaliação de crédito e o cumprimento de uma série de garantias exigidas para a sua liberação. O próprio imóvel consiste em uma garantia para garantir os pagamentos. Isso significa que a propriedade poderá ser consolidada em casos de inadimplência.

4. Identifique o tipo de imóvel

É importante ter em mente o tipo de imóvel que você deseja adquirir — usado, novo, na planta. Essa característica é determinante no valor da propriedade, bem como em eventuais despesas com manutenção e reformas.

Além disso, devem ser avaliados outros aspectos importantes, como:

  • dimensão dos cômodos;
  • tamanho e quantidade de dormitórios;
  • serviços disponíveis no condomínio — porteiro e área de lazer, por exemplo;
  • qualidade dos materiais utilizados no revestimento e acabamento;
  • quantidade de vagas na garagem;
  • itens de segurança — câmeras de vigilância e alarme;
  • fácil acessibilidade — rodovias pavimentadas e em bom estado de conservação;
  • existência de comércio diversificado próximo à residência;
  • existência de rotas de transporte público — ônibus, metrô, trem etc.

5. Pesquise os bairros com cuidado

A escolha do local certo vai impactar diretamente na sua qualidade de vida. Portanto, opte por uma região que seja condizente com os seus hábitos. Isso significa que um bairro agitado pode gerar desconforto e arruinar o seu descanso caso você goste de ficar em casa relaxando no tempo livre — trânsito intenso, muitos bares, uma vida noturna movimentada e vizinhança barulhenta, por exemplo.

Também é importante verificar se há uma boa variedade de opções de lazer e comércio local — parques, shoppings, supermercados, farmácias, consultórios médicos etc. Todos esses atributos aumentam a comodidade e contribuem para a valorização do imóvel.

Portanto, não importa apenas se o imóvel é perfeito e exatamente do jeito que você sempre sonhou. Ele também precisa estar localizado em uma região valorizada e segura que tenha a capacidade de corresponder às suas expectativas e facilitar a sua rotina. Caso contrário, isso pode significar que você não esteja fazendo um negócio muito produtivo.

Saber como comprar um imóvel é uma tarefa que exige planejamento e requer a tomada de decisões acertadas e condizentes com a sua realidade e hábitos de vida. Trata-se de um processo por vezes longo e burocrático. Dessa forma, é preciso ter paciência e não se afobar para não errar na escolha e ter prejuízos no futuro.

Está procurando uma região para viver? Conheça os 7 bairros mais exclusivos para morar em São Paulo com conforto e sofisticação!