Antes de adquirir ou colocar uma propriedade à venda, é necessário estipular seu valor e as formas de pagamento disponíveis para o fechamento da compra. Nesse sentido, é essencial saber como avaliar o valor de um imóvel.

Existe uma variedade de fatores que influenciam o preço final desse item. Nem sempre se trata de uma tarefa fácil, uma vez que o setor imobiliário é impactado diretamente pela economia, o que contribui para o processo de valorização ou desvalorização do bem.

Por isso, quem está à procura de um apartamento precisa ficar atento às condições do imóvel e à situação do mercado para saber identificar se a precificação da unidade está sendo feita de maneira justa.

Neste artigo, vamos explicar os aspectos que impactam diretamente no preço do bem e como avaliar o valor de um imóvel. Confira!

1.  Observe a localização do imóvel

A localização é um dos elementos mais significativos no momento de definir o valor de venda. Por isso, as residências situadas em locais nobres e afastadas da periferia apresentam maior tendência de valorização.

No mesmo sentido, as casas e apartamentos que ficam localizados perto da região litorânea também costumam sofrer aumentos de preço.

Além disso, também é importante analisar a proximidade com regiões que oferecem um maior potencial de urbanização. As cidades que apresentam um alto índice de crescimento são sempre promissoras.

É comum, nesses locais, o crescimento do número de condomínios sendo construídos e a instalação de novas opções de comércio, o que é forte indicio de que o imóvel deve se valorizar nos anos seguintes.

Ou seja, trata-se de um negócio que deve lucrar e prosperar no futuro. Afinal, à medida em que se desenvolve, a região tende a receber mais investimentos, sejam eles oriundos de capital privado ou políticas públicas — obras de infraestrutura, saneamento básico, urbanização etc.

2.  Avalie a conservação da fachada do imóvel

A fachada do imóvel é tão importante quanto o seu ambiente interno. Afinal, a primeira impressão é a que fica. Se a aparência externa da residência passar uma mensagem de desleixo e poucos cuidados, dificilmente o eventual comprador vai se interessar em fechar o negócio.

Nesse sentido, um muro sujo com pichações passa a impressão de pouca segurança, por exemplo. Além disso, paredes com tinta descascando, portas emperradas e revestimentos de má qualidade podem espantar o interessado.

Logo, a conservação da fachada é um dos aspectos que mais impactam diretamente no preço do bem e contribuem para reduzir o valor do imóvel.

Trata-se de elementos que podem ser facilmente restaurados sem que isso implique grandes investimentos. Mesmo quem mora em apartamento precisa cuidar desse aspecto. Nesses casos, o ideal é conversar com o síndico ou o responsável pela administração do condomínio.

3.  Verifique os acabamentos da parte interna

O acabamento é, de fato, um elemento mais custoso e que demanda maiores recursos em uma construção ou reforma. Isso não quer dizer que você deva economizar nesse momento, nem escolher materiais de qualidade duvidosa.

Afinal, a estrutura poderá apresentar problemas em breve e logo será necessária uma nova restauração.

Além disso, acabamentos de má qualidade afetam negativamente o valor da propriedade. Isso porque dificilmente um comprador vai se animar em fazer uma proposta atrativa quando se deparar com um imóvel que foi edificado com materiais inferiores, mesmo que esteja localizado em região de alto padrão.

4.  Observe a conservação do imóvel

O estado de conservação do imóvel está ligado à qualidade dos acabamentos que foram utilizados na sua construção — e que influencia diretamente o valor desse bem. Se, por exemplo, o futuro proprietário notar que vai gastar tempo e dinheiro com eventuais reparos, dificilmente fechará o contrato.

Para evitar esse tipo de situação, é importante tomar algumas providências:

  • verificar eventuais problemas hidráulicos, como vazamentos;
  • verificar possíveis problemas elétricos, como quadros de energia desatualizados;
  • observar se há rachaduras nas paredes;
  • renovar os pisos e azulejos, se estiverem saltando para fora;
  • pintar as paredes, se elas estiverem sujas ou descascando;
  • investir em “móveis” fixos de longa duração (armários e pias, por exemplo);
  • instalar uma boa iluminação;
  • manter o ambiente “clean” e com aspecto de novo.

5.  Invista na decoração dos ambientes

A decoração é um dos fatores que ajudam a valorizar (ou desvalorizar) um imóvel. Assim, ela pode ser adequada conforme a personalidade e as preferências dos potenciais compradores e futuros moradores.

Geralmente, é feito um planejamento com o auxílio de designers, arquitetos e decoradores de interior. Esses profissionais vão adaptar o ambiente de acordo com aquilo que é mais condizente com as necessidades e exigências do mercado imobiliário.

Nesse sentido, é importante ter atenção aos seguintes elementos:

  • cores das paredes (o ideal são cores neutras);
  • revestimentos;
  • móveis planejados (passam a impressão de organização e sofisticação);
  • objetos decorativos (devem ser discretos e de acordo com o perfil do cliente).

6.  Verifique os complementos do imóvel

A preocupação em manter a mente e o corpo em bom estado vêm tornando as áreas complementares de um imóvel cada vez mais valorizadas. Dessa forma, os moradores podem se divertir e praticar exercícios físicos a poucos metros de sua residência.

Conheça os complementos de uma unidade que influem diretamente na sua precificação:

  • áreas de lazer;
  • jardim;
  • piscina;
  • academia;
  • quadras de esportes;
  • salões de jogos;
  • sauna;
  • churrasqueira etc.

7.  Analise a existência de vagas de garagem

Grande parte dos interessados em comprar um imóvel já possui automóvel. Atualmente, o carro deixou de ser um objeto de luxo e se transformou em uma necessidade, principalmente para quem vive em grandes centros urbanos e deseja se deslocar com maior conforto e rapidez.

Por isso, a existência de vaga de garagem coberta é um verdadeiro diferencial para a propriedade, contribuindo para a sua valorização e atuando diretamente na sua precificação.

Agora que você já sabe como avaliar o valor de um imóvel, já pode verificar se a propriedade que deseja adquirir está de acordo com tudo o que você aprendeu até aqui. É importante ter em mente que a compra de um imóvel é um processo demorado e que envolve muitas questões burocráticas. Por isso, esforçar-se para entender e identificar as condições da propriedade é um cuidado fundamental que evita frustrações e arrependimentos, bem como prejuízos no futuro.