Apesar de ser um segmento muito seguro e extremamente rentável, o mercado imobiliário tem as suas particularidades, como qualquer outra área. Um deles é, sem dúvida, a oscilação do preço dos imóveis, que está diretamente relacionada com diversos fatores econômicos e pode impactar os investimentos tanto negativa quanto positivamente.

Evidentemente, esse é um problema que assola menos os setores do mercado de imóveis de alto padrão. Nesse âmbito, a crise traz impactos consideravelmente menores, por esse se tratar de um segmento com uma dinâmica bastante variada.

No entanto, compreender essas dinâmicas é algo fundamental para qualquer investidor de respeito. Apenas assim, afinal, é possível antever as principais tendências do mercado e se preparar para aquilo que está por vir.

Pensando nisso, preparamos um artigo que tem como principal objetivo fornecer as informações necessárias para que você, investidor, saiba como lidar com as tendências do mercado imobiliário para 2019, evitando surpresas desagradáveis que possam impactar negativamente os seus negócios. Boa leitura!

Como foi o ano de 2018 para o mercado imobiliário?

Em recessão desde 2014, o mercado imobiliário tem passado por um processo relativamente novo em nossa história. A partir desse período, ele sofreu com poucos lançamentos por parte das incorporadoras e com capacidade reduzida para investimentos, com um acúmulo de imóveis disponíveis, mas poucos compradores. Outra característica marcante do período foi a alta devolução de imóveis.

Por isso, antes de darmos continuidade à nossa conversa, é fundamental abordarmos o panorama do mercado imobiliário em 2018 a fim de descobrir em que momento ele se encontra atualmente. Esse foi, sem sombra de dúvidas, um ano de muitos acontecimentos que contribuíram para uma dinâmica diferenciada.

Algumas das situações que influenciaram esse setor foram a Copa do Mundo, que sempre traz um impacto considerável para a economia, e a greve dos caminhoneiros, que ocorreu entre o final do mês de maio e o início de junho. Além disso, não podemos esquecer de mencionar as Eleições, que fizeram com que uma expectativa positiva surgisse no último semestre.

Essa expectativa, alimentada pela alteração do poder no Governo Federal, fez com que se desse início a uma limpeza desse estoque. A partir desse momento, as pessoas passaram a investir um pouco mais nesse mercado.

Já quando falamos sobre imóveis de alto padrão, localizados em bairros com um metro quadrado de valor elevado, a situação foi um tanto quanto diferente. Nesses ambientes, a crise não ocorreu de forma tão incisiva, já que a urgência para tais investimentos não existia e os indivíduos que investem nesse tipo de imóvel não dependem de transações dessa natureza para sobreviver ou obter renda.

Quais são as perspectivas de crescimento do setor?

Com as informações obtidas no tópico anterior, podemos notar que a tendência para 2019 é de crescimento no setor. A maior perspectiva é de que os preços de lançamentos subam e que, com o aquecimento da economia, as pessoas possam voltar a investir no segmento.

Com isso, há também um aquecimento no trabalho das incorporadoras. Com a percepção de retorno do interesse de compra por parte da população, essas empresas podem voltar a lançar empreendimentos e aguardar, com mais segurança, que os indivíduos busquem uma maior diversificação em seus portfólios de investimentos na área.

Ainda assim, é necessário ter uma certa cautela na hora de investir, vender ou comprar. Afinal, algumas instabilidades políticas e econômicas ainda podem ocorrer e, no momento, é cedo para afirmar quais caminhos serão tomados por nossos governantes e quais impactos eles terão em nossa economia.

Quais são as principais tendências de alteração de preço?

Com base no que foi conversado, é possível definir algumas tendências que muito provavelmente farão parte de 2019 no setor imobiliário. A seguir, conversaremos sobre as principais.

Facilidade para financiamentos

O reaquecimento da economia previsto para 2019 pode fazer com que os financiamentos se tornem muito mais simples para o setor imobiliário. A principal razão para isso é o ajuste de queda da taxa de juros, que pode fazer com que o interesse da população em adquirir a casa própria seja reavivado.

Redução da inflação

A expectativa positiva com a troca de governo também pode fazer com que a inflação, um dos principais problemas para o setor imobiliário, seja diminuída. Assim, novos empreendimentos podem ser lançados a valores bastante atraentes, especialmente considerando a redução simultânea na taxa de juros.

Mais confiança e segurança do investidor

Todo esse panorama contribui positivamente para o aumento da segurança do investidor, que passa a ficar mais confiante em suas aplicações e, assim, investe muito mais. Com isso, podemos esperar um aquecimento do setor imobiliário para o ano de 2019.

Como o investidor pode se preparar para as oscilações monetárias do setor?

Já que mencionamos o aumento da confiança e da segurança dos investidores como uma das principais tendências do mercado para 2019, que tal abordarmos as preparações necessárias para as diversas oscilações monetárias desse segmento?

Como sabemos, a instabilidade na economia e em outros âmbitos importantes, como a política, pode gerar uma certa variação nos preços e nos valores gerais de investimentos, independentemente do segmento. No caso dos imóveis, isso se torna ainda mais pronunciado, exceto quando falamos sobre o setor de alto padrão.

Por isso, a recomendação é sempre buscar uma assessoria especializada em imóveis e investimentos para auxiliá-lo nesse tipo de processo. Afinal, esses profissionais têm toda a expertise necessária para lidar com as oscilações comuns do mercado e poderão aconselhar os seus clientes sobre os melhores passos a serem dados.

Além disso, uma boa estratégia para investidores do ramo imobiliário é investir, atualmente, em locações. A busca por aluguéis tem crescido de forma exponencial, seja pela necessidade das famílias em geral ou pela busca dos mais jovens por imóveis próximos a seus empregos e em bairros de padrão elevado, bem localizados.

Esse tipo de investimento tem se mostrado uma alternativa interessante às aplicações comuns. Ainda assim, é sempre indicado que os investimentos sejam divididos e diversificados, para evitar surpresas desagradáveis ou qualquer tipo de problema. Uma dica, por exemplo, é aplicar um certo montante na bolsa, outra parcela em imóveis e assim por diante.

Como pôde ser observado, o preço dos imóveis está diretamente ligado ao contexto em que o país está inserido. Por isso, o ano de 2018 não foi um dos melhores para os investimentos no setor imobiliário. As perspectivas para 2019, por sua vez, não são tão diferentes. Por isso, é hora de ter muita cautela e considerar os melhores momentos para fazer as transações!

Gostou deste artigo? Para não perder nenhuma publicação de nosso blog, basta assinar a newsletter! Com isso, todas as novidades serão enviadas diretamente ao seu e-mail!