Os guias de turismo que vemos pela Internet exploram bastante destinos tradicionais caros, ilustrando-os como locais favoritos por ricos e famosos. As cidades tradicionais, como Aspen e Mônaco, ainda estão longe do alcance da maioria dos mortais e, por isso, se tornam chamariz constante para publicidades e multidões.

Porém, a Bossa Nova Sotheby’s International Realty tem o compromisso de enfatizar a qualidade e exclusividade que o luxury lifestyle necessita.

É com esse intuito que apresentamos algumas cidades para visitar nos EUA e que são exclusivas, tanto em número de visitantes quanto em seu estilo de vida e experiências proporcionadas.

Continue a leitura do nosso artigo especial e descubra seu próximo destino de férias!

Ilhas Virgens Americanas – Mar do Caribe

Compreendendo três ilhas principais — St. Croix, St. John e St. Thomas — as Ilhas Virgens Americanas são banhadas pelas águas do mar caribenho e reúnem outras 50 menores, além de recifes e ilhotas. Elas pertencem ao território estadunidense desde 1917 e a disputa territorial faz parte da história da região, servindo, inclusive, como atrativo turístico.

É perceptível a influência de várias culturas, uma vez que as ilhas já pertenceram à França, Espanha, Grã-Bretanha, Holanda, Dinamarca e Noruega. Cada bandeira destas nações se mostra presente ainda nos tempos atuais na gastronomia local, assim como na arquitetura, na cultura, na música e demais artes.

Na medida em que as correntezas se aproximam da costa, suas águas em tom azul-turquesa adquirem características cristalinas. Isso, somado a geografia característica do Caribe, deu ao lugar a alcunha de “Paraíso da América”. Sua temperatura mantém uma média estável ao longo do ano, variando de 28 ºC no inverno para 30 ºC no verão — tipicamente um clima tropical.

As atividades pela ilha são bem variadas, que vão desde descansar à beira d’água, seja na areia branca seja nos iates, até se aventurar pelo mar com opções de esportes aquáticos, como o stand-up paddle, windsurf e caiaque. Aliás, também há passeios de jet ski e barco à vela, disponíveis a partir das marinas espalhadas na região.

Há experiências mais tranquilas, como o mergulho supervisionado. Nesse momento, é possível ver navios naufragados, antigas construções submersas, além de centenas de espécies de peixes, 40 tipos de corais e outros animais existentes na biodiversidade local.

Pela terra, a satisfação vem por outros pontos igualmente atraentes. Sendo líder em turismo sustentável, protegendo e preservando o meio ambiente, a natureza das Ilhas Virgens Americanas são um patrimônio cultural.

Em St. John, há o Virgin Islands National Park que ocupa cerca de 60% do território da ilha. É um local com florestas tropicais para serem exploradas, além de passeios de barco em áreas nobres e outras dezenas de trilhas naturais para percorrer.

A capital das ilhas, Charlotte Amalie, recebe vários cruzeiros que vêem dos Estados Unidos continental, porém, apenas durante o dia. A vida noturna é mais tranquila na região, oferecendo refeições à beira mar, além de restaurantes requintados pelas marinas mais privativas. Esses atrativos tornam a cidade um destino exclusivo para visitar nos Estados Unidos.

Há lojas de marcas sofisticadas na região, porém, o atrativo comercial são os artesões locais. De origens indígenas — do oeste latino e da África — os nativos tecem peças de tapeçaria com temas que misturam todas as influências culturais, deles e dos colonizadores.

Ilhas Douradas – Geórgia

Indo pela costa leste dos EUA, encontra-se esse conjunto de quatro ilhas. A Geórgia foi cenário de entrada dos peregrinos, formando a história das 13 colônias dos Estados Unidos. E o fator histórico é um dos atrativos da região, pois ainda guarda trilhas e aldeias nativas ainda não exploradas pelo homem moderno.

Brunswick é uma das cidades para visitar nos EUA, pois abriga as quatro ilhas nominadas de St. Simons, Sea Island, Little St. Simons e Jekyll Island. São conhecidas por Ilhas Douradas devido ao clima que proporciona um pôr do sol nessa cor, tingindo suavemente a paisagem, construções e barcos.

O clima é muito parecido ao da região sul do Brasil, incluindo o sol brilhante em dias mais frios do outono e inverno. As temperaturas mínimas ficam em torno de 9 e 13ºC, chegando aos 31 ºC no alto verão, o que proporciona uma atmosfera extremamente agradável para passeios a céu aberto.

Cada uma das ilhas tem sua própria particularidade, mas todas elas possuem canais navegáveis e que outrora foram explorados pelos nativos e colonizadores do território norte-americano. Além disso, as ilhas são cercadas por vegetação característica da região, misturando pântanos e crocodilos ao mar azul e areias brancas.

Deixando os cenários mais populares e visitados de lado, é possível pegar um barco no lado norte da ilha principal e acessar Little St. Simons, uma pequena ilha aberta para visitações guiadas durante o dia.

Porém, há o The Lodge, uma confortável e rústica acomodação exclusiva — apenas 32 pessoas podem se hospedar por vez. Além de contar com quartos individuais, é possível reservar cottages ou a ilha inteira, tornando esse momento um refúgio particular.

Contudo, o ápice da estadia se encontra em Sea Island, a primeira ilha da barreira formada entre o continente e o Oceano Atlântico, ficando do lado mais externo do arquipélago. Nela, situa-se o Cloister on Sea Island, um retiro cinco estrelas que possui spa e restaurantes, além de atividades programadas para a família toda.

O renomado Sea Island Golf Club possui campos completos e, ao longo do trajeto, é possível vislumbrar a beleza das paisagens naturais a cada tacada. Não menos surpreendente, ainda conta com uma acomodação premiada. O The Lodge at Sea Island recebe, desde 2001, o prêmio cinco diamantes da AAA, além de também ser premiado como acomodação 5 estrelas pela revista Forbes.

A região também é berço de famílias conhecidas como “Old Money”, ou seja, que têm heranças e riquezas por gerações. Isso se reflete na Jekyll Island que possui o Jekyll Island Club. A ilha foi comprada pelo clube de Jekyll Island em 1886, onde abriu suas atividades dois anos mais tarde. Porém, é um club idealizado desde 1879 para ser um refúgio dos cidadãos mais ricos do país.

Martha’s Vineyard – Massachusetts

O que é qualidade de vida para você? Com certeza inclui momentos com a sua família, amigos e tranquilidade. Pois bem, ao chegar no Massachusetts — há apenas dois estados de distância do Canadá — você compreenderá porque Martha’s Vineyard é considerada a “Hollywood do Leste“.

No verão, a região não tende a ser ponto turístico e, justamente pela localização geográfica não proporcionar uma paisagem tropical, a exemplo das Ilhas Virgens Americanas. Por esse motivo é que figuras importantes, como o ex-presidente Barack Obama e o apresentador David Letterman, frequentam este local na estação.

Por mais de um século a região é um refúgio de elite, reunindo o que há de melhor dos dois mundos: exclusividade e requinte nas acomodações e serviços, paisagens naturais e vislumbrantes com passeios casuais em família. Além disso, é considerado por muitos um dos destinos mais românticos dos EUA.

O verão norte-americano inicia-se em junho e, portanto, Martha’s Vineyard é uma das cidades para visitar nos EUA durante o feriado nacional de 4 de julho. Seu ambiente pitoresco proporcionará uma experiência incrível desse momento, principalmente pelo show de fogos de artifício e eventos organizados pelas pessoas locais em homenagem a esse dia.

A maior parte da arquitetura remonta o século 19 com estilo grego, se mantendo à distância da vista pelos passeios de barco na orla de Edgartown. Para os fãs de praias, há belos momentos ao pôr do sol em Oak Bluffs. Além disso, a parte histórica é uma continuação do que aconteceu nas 13 colônias, como dito sobre Geórgia.

Martha’s Vineyard é uma celebração a herança e ascendência das pessoas da região. Os moradores se orgulham de suas ilhas livres de cadeias de fast-food e redes de lojas, mantendo os estabelecimentos locais como seus principais pontos de comércio. Há, inclusive, uma região agrícola, com visitações abertas e refeições orgânicas servidas no local.

Vail – Colorado

A próxima cidade para visitar nos EUA fica no centro-oeste, no estado do Colorado. Vail está há apenas duas horas de distância de Aspen, muito conhecida pelas estações de esqui e por ser destino certo no inverno. Porém, essa cidade é subestimada devido ao seu tamanho pequeno e por ter menos montanhas do que Aspen, apenas duas.

Claramente, isso acontece por falta de conhecimento da região, uma vez que abriga um resort gigantesco que ocupa uma montanha inteira. Além disso, é destino certo para grandes artistas, como Cameron Diaz e Will Smith — o motivo principal são seus hotéis sofisticados, além do conjunto de spas e restaurantes.

Vail não é somente procurada no inverno, durante todo o ano há eventos de música na região — a maior parte de Rock ou Jazz. Há também atividades ao ar livre, no verão, com guias e treinadores para explorar a natureza da área. Pontos de pesca, ou fly fishing como chamam, são procurados por aqueles que preferem a solitude do rio Beaver. Essas atrações que reúnem sofisticação e vida no campo, tornam a cidade obrigatória para visitar nos Estados Unidos.

A arte local é outro ponto atrativo, sendo palco de mais de 45 obras-primas de afresco. Além do mais, um dos jardins botânicos mais altos do mundo se localiza aqui. O Betty Ford Alpine Gardens abriga mais de 3 mil espécies de plantas, a maior parte alpina. Sua estufa de inverno é uma das maiores, abertas à visitação pública, que existem nos EUA.

A arquitetura lembra muito as casas europeias do século anterior, principalmente as da Áustria, proporcionando passeios incríveis pelas ruas da cidade. Outras atividades incluem, no inverno, o esqui, snowboarding, escalada e caminhadas pelas montanhas, além de um museu do esqui com um hall da fama com renomadas façanhas e seus conquistadores.

A gastronomia da região é repleta de pratos típicos, como o purê de batatas do Colorado. Há restaurantes sofisticados no centro de Vail, conhecidos por serem ponto de encontro de personalidades. Os hotéis da região, como o Ritz-Carlton e o Four Seasons, oferecem acomodações impecáveis, como o aluguel de quartos privativos ou apartamentos completos.

Além das acomodações de luxo, o Four Seasons conta com o restaurante Flame, uma steak-house de alto padrão que oferece pratos à la carte, além de um menu de vinhos excelente. O restaurante também tem um bar, o Remedy Bar, que faz drinks estilizados e cocktails criativos, com bancada próxima a uma fogueira aconchegante.

Os restaurantes dos hotéis também são uma ótima pedida, servindo variedades de pratos internacionais e nacionais. Um destaque importante para o après-ski que acontece nas hospedagens e restaurantes ao redor das pistas.

Essas confraternizações após o esqui, são uma ótima pedida para admirar a vista das montanhas enquanto saboreia refeições e recebe serviços diferenciados — como usar pantufas dentro do restaurante, em vez das pesadas botas de esqui.

Northstar – Califórnia

Quando pensa em esquiar, talvez, você não pense na Califórnia como destino. Porém, Northstar é uma cidade de esqui para se visitar nos EUA e tem recebido atenção de famílias da elite. O motivo é bem simples: exclusividade que proporciona momentos em segurança com toda a família.

Northstar é um resort de esqui e é procurado durante o ano todo, tanto para a prática de esportes de inverno quanto para fugir das altas temperaturas do verão. Não se trata exatamente de uma cidade, mas, sim, de um retiro ao ar livre que foi planejado para ser destino das elites — o município mais próximo é Truckee, que possui aeroporto.

A localização do resort é privilegiada, pois é cercada de uma natureza montanhesca e vislumbra, ao fundo, as águas do lago Tahoe. Porém, seus atrativos não são somente os esportes de inverno. Tendo como donos os mesmos de outros resorts importantes, como o de Vail, é possível ter atrações culturais na região.

Festivais de música e cerveja artesanal, além de percursos de golf, fazem parte das atividades desenvolvidas. Há espaço especial para as crianças, com experiências únicas desenvolvidas para elas e seus familiares. A exemplo disso, há a caça de estrelas no lago Tahoe, que por ser muito vasto, proporciona uma vista clara e privilegiada dos corpos celestes.

Há atividades de culinária ao ar livre, programadas para as crianças maiores. Elas podem ser deixadas no local com segurança e acompanhamento responsável, enquanto os pais aproveitam o local com outras ocupações, como o mountain bike, ski bike e festivais de vinho. A vila central é incrível, contando com variedades de restaurantes, lojas e uma atmosfera social atrativa.

Não só as crianças são bem-vindas, os animais de estimação também têm seu espaço reservado. Eles recebem tratamento especializado e hospedagem apropriada, além dos estabelecimentos serem planejados para receberem, literalmente, todos os membros da família — incluindo serviço de cuidados infantis para menores de 2 anos.

O aprè-ski também ganha destaque, com uma vista esplêndida das montanhas ao redor, além do lago Tahoe que é muito querido pela população local. É possível curtir o momento, após o exercício nas montanhas, enquanto acompanha, com o olhar, os moradores e visitantes da região em suas atividades externas.

As acomodações possuem qualidade e estilos similares aos de Vail. Inclusive, muitas das hospedarias presentes em Northstar também atuam em outros resorts de inverno, padronizando a experiência e excelência do serviço. É possível alojar-se diretamente nos hotéis ou alugar cottages no centro da vila, essas unidades são de propriedade dos hotéis e mantêm o padrão da hospedaria principal.

Porém, o aluguel de unidades oferece a oportunidade de você mesmo preparar suas refeições e cuidar da família. Há serviços de quarto complementares, obviamente, não deixando você como responsável de atividades domésticas em plenas férias. Além disso, a maior parte das hospedarias oferece mimos a seus convidados, como lavanderia e kits infantis de atividades.

Calistoga – Califórnia

Enquanto está na Califórnia para curtir as montanhas de Sierra Nevada, o que acha de conhecer Calistoga? Essa cidade está situada no vale de Napa, uma importante região vinícola e que vem ganhando destaque de enólogos ao redor do mundo. Seu clima mediterrâneo proporciona verões concisos em temperaturas de até 33 ºC e pouca chuva, porém, no inverno, as temperaturas costumam cair para até 2ºC.

Seu clima seco — média de, apenas, 63 dias de chuva no ano — proporciona noites agradáveis e propícias a passeios. As vinícolas da região são de famílias tradicionais italianas, muitas refugiadas da primeira e segunda guerra mundial. O Castello diAmorosa é uma delas e abre visitações ao público.

Os vinhos são vendidos apenas no Castello e são degustados em uma ampla taberna no subsolo deste. Sua construção foi primorosa, necessitando de mais de 8 mil toneladas de pedras extraídas localmente. Além disso, tijolos e telhas de terracota importadas da Europa. O Castello diAmorosa foi aberto em 2007 e conta com características típicas do século 12 e 13.

Além da ponte levadiça, foço, torres, pátio interior e câmara de tortura, conta com 107 cômodos. Um deles abriga uma lareira de mais de 500 anos e dois afrescos pintados por artistas italianos, levando mais de um ano para sua conclusão. A beleza natural da região também chama atenção, praticamente ao lado do Castello há um labirinto de cavernas com mais de 270 metros de comprimento.

As nascentes termais também tornam Calistoga uma cidade interessante para visitar nos EUA. Há diversos spas especializados em banhos nas termas vulcânicas e banho de lama, feitas com cinzas de vulcão e que prometem revitalizar e rejuvenescer a pele.

Como atração local, há o “Old Faithful of California”, um gêiser artificial e conhecido por ter sido feito enquanto um antigo morador procurava por água — a pequena fé em encontrar água acabou despertando um gêiser adormecido.

Na parte de cima do vale de Napa, há ranchos extensos e transformados em hospedagens românticas, com passeios e atrações similares às feitas em Gramado e São José dos Campos, durante as luas de mel. Há, inclusive, um trem que viaja pelo Vale de Napa e permite conhecer a história e cultura da região.

Os parques da área são atrações locais e pontos de diversão para diferentes amantes da arte. Os concertos ao ar livre são espetáculos contínuos, ofertando shows durante o dia e noite, e há artistas fazendo seu trabalho no parque, como pinturas e danças. Além do mais, também é possível encontrar mostras de vinho e degustações abertas a visitantes, como o Calistoga Uncorked, ofertado pelo Golden Gate Club.

Maui – Havaí

Esta é a segunda maior ilha do Havaí e possui outras ilhas em seu condado: Molokai, Lanai e Kahoolawe, sendo a última despovoada. Com certeza, um atrativo para visitar essa cidade dos EUA é o vulcão Haleakalã, pois forma 75% da geografia do local, sendo a maior montanha de Maui, com 3055 metros de altitude.

Seu clima é predominantemente tropical e com temperaturas uniformes. Porém, devido a sua geografia e a insularidade das ilhas havaianas, há muitos fatores que influenciam no clima da área, permitindo que a ilha de Maui tenha várias regiões com temperaturas diferentes.

A exemplo disso, há as montanhas que são mais secas e recebem temperaturas congelantes, contrastando com áreas mais baixas onde predomina a briza litorânea e as temperaturas mais altas.

As atrações principais da região são suas belezas naturais, com diversas praias do oceano Pacífico e cachoeiras incrustadas nas montanhas e florestas. Sua economia é baseada na agricultura e no turismo, possuindo porto e aeroporto no vilarejo de Kahului, localizada no istmo que une as duas partes da ilha principal.

O lado leste de Maui é o mais habitado, sendo a fração nordeste a que conta com menos infraestrutura, tanto para visitantes quanto para locais. A região central é onde estão localizados os ranchos e produções agrícolas, fazendo parte do clima de montanha com temperaturas mais baixas. Se pretende conhecer as praias, o indicado é ir para a área mais a oeste de Maui.

Lá, praias lindíssimas contam com infraestrutura completa para um dia ao ar livre. Os restaurantes são bem frequentados e possuem variedade de pratos locais. A praia de Olowalu permite mergulhos de snorkel, além de ter a Olowalu Plantation House, um lugar preferido para realizar casamentos nas ilhas de Maui.

As hospedagens, com certeza, devem ser feitas na região sul de Maui, onde estão localizados os resorts e hotéis mais luxuosos da região. Há marinas nessa área, de onde saem visitas programas para o vulcão submerso Molokini. Além disso, a parte sul conta com restaurantes e shoppings de alto padrão, sendo destino certo para artistas internacionais.

A praia de Wailea é a mais atraente de todas, sendo rodeada por dois hoteis grandiodos: o Four Seasons Resort Maui at Wailea e o Grand Wailea Resort Hotel & Spa, dos empreendimentos Hilton. E próximo dali há duas praias de nudismo eventual, não obrigatório: Makena Beach e Little Beach.

Para passeios em família, há o Maui Ocean Center, situado no pier de Ma’alea. Há também percursos de golf nos resorts da área sul que, inclusive, permitem estadias acima de 60 dias, proporcionando férias e feriados prolongados para as elites e seus familiares. A ilha também conta com mergulhos marcados para aqueles que têm certificação. Já para os iniciantes, há tours guiados para visitação das baleias-jubarte.

As principais cidades para visitar nos EUA incluem um estilo de vida diferenciado, mesclando sofisticação e casualidade, o que proporciona momentos incríveis, desde um simples passeio em família a até viagens de conhecimento e puro romance.

Não esquecendo nunca de Nova Iorque como destino certo para negócios, compras e passeios, principalmente a ilha de Manhattan. Aproveite o momento e comece a programar suas próximas férias enquanto esses destinos ainda são novidades para os outros.

Não deixe de curtir nossa página no Facebook e receber novidades sobre viagens, decoração de ambiente e oportunidades de negócio!