1. Introdução

Você consegue imaginar um mundo sem problemas de moradia, mesmo para população de baixa renda, em que uma casa pode ser construída em 24h e por um custo mínimo? Pois esse mundo está em vias de ser real, graças a projetos de desenvolvimento urbano que começam a incluir casas feitas com impressão 3D.

A tecnologia e o método para a construção dessas casas já existem e estão sendo postos em prática na solução de problemas e dificuldades de habitação para populações carentes. Porém, com todos os avanços trazidos pela transformação digital, espera-se que, em pouco tempo, já possamos ver residências de alto padrão feitas com impressão 3D.

Imagine como seria planejar cada detalhe do seu refúgio particular em uma tela, visualizando exatamente como será o resultado, apertar o botão “print” e a casa dos seus sonhos começa a ser impressa do jeitinho que você projetou?

É sobre isso que vamos falar neste post. Você entenderá como funciona o processo de impressão de casas, quais são as principais características de uma casa impressa, que tipo de materiais são usados na construção de casas feitas com impressão 3D e quais são os seus custos e tempo envolvidos, além de conhecer projetos que já trabalham com a tecnologia. Saberá, inclusive, como colaborar com eles, e ainda, quais impactos essa novidade trará para o mercado imobiliário.

Ficou interessado? Então, continue conosco e tenha uma ótima leitura!

2. Como funciona o processo de impressão de casas?

As casas feitas com impressão 3D não são exatamente uma novidade — elas já eram produzidas desde os primórdios dessa tecnologia. Porém, o processo costumava ser bem diferente do que é utilizado hoje em dia.

As peças eram impressas individualmente dentro de moldes, em um determinado local, como uma fábrica, e depois transportadas e montadas no terreno onde os imóveis deveriam ser construídos. Desse modo, gastavam-se muito mais recursos e tempo, além de exigir uma intervenção humana muito maior do que no processo atual.

Nos dias de hoje, existe um método desenvolvido pela empresa Apis Cor que leva a impressora — parecida com um guindaste, mas de fácil transporte — até o local onde a casa será levantada. Lá, ela começa a imprimir, a partir de um ponto central, camada por camada de uma mistura de concreto, que vai formando as fundações, as bases de sustentação, teto e paredes, como uma peça única.

Embora o resultado desse processo não seja uma mansão, a casa parece confortável e perfeitamente habitável. Além disso, o processo todo leva em torno de 24h para uma casa de 37 m². A única limitação é o clima no local, pois a impressora necessita operar sob uma temperatura entre 5ºC e 35ºC.

Mais recentemente, uma construtora baseada no Texas, a Icon, desenvolveu, em parceria com a organização não governamental New Story, um projeto parecido com o da Apis Cor.

Ela criou uma impressora chamada Vulcan capaz de imprimir camadas de uma massa térmica resistente, que levanta toda a estrutura de uma casa de aproximadamente 75 m² com quarto, sala, cozinha, banheiro e varanda. Porém, os acabamentos, como instalações elétricas e hidráulicas, portas, janelas etc. são feitos por operários.

Esse modelo mais modesto foi apresentado e demonstrado pela Icon durante o evento South by Southwest, o maior festival de inovação do mundo, que acontece em Austin todos os anos. Porém, segundo a empresa, a Vulcan é capaz de imprimir casas de até 800 m² levando de 12 a 24 horas.

Por enquanto, a Icon não tem um plano comercial para as casas, mas sim um projeto para viabilização da construção de 100 moradias em El Salvador destinadas a pessoas carentes. Mas já se pode perceber que o processo de impressão de casas em 3D está evoluindo rapidamente, e chegando bem perto de se tornar um produto comercial.

3. Quais são as características de uma casa impressa?

Por enquanto são casas minimalistas que variam de 37 a 75 m², com quarto, sala, cozinha, banheiro e uma varanda. Trata-se de protótipos criados para atender à demanda de moradias de baixo custo em países mais pobres com população carente.

Porém, em Xangai, já existe uma impressora com 10 m de largura, 32 de comprimento e 6,4 de altura, que há 4 anos já era capaz de construir 10 casas de 62 m² em 24h. Daí para a impressão de uma única casa de 620 m², com muitos outros cômodos e, quem sabe, até uma área de lazer com projeto de paisagismo, é só uma questão de tempo e de alguém disposto a investir no projeto.

Existem ainda algumas barreiras para que as casas feitas com impressão 3D cheguem aos níveis do alto padrão de residências. Uma delas é questão da resistência às intempéries climáticas, por exemplo, e a durabilidade.

Dentre os materiais utilizados na impressão de casas 3D está o concreto, como comentamos mais acima e veremos com detalhes mais adiante. Por isso, a empresa Apis Cor — uma das pioneiras no processo — calcula que haja uma expectativa de 175 anos de vida para um imóvel desses. Porém, a teoria ainda não foi comprovada na prática.

Outra característica interessante é que hoje as casas são projetadas e impressas “vazias”. Mas devido à infinidade de materiais disponíveis para o uso na impressão 3D, não tardará a surgirem projetos que já englobem todo o mobiliário e decoração da casa.

E isso sem contar com áreas de lazer, como piscinas, churrasqueiras, parquinhos etc. Ou seja, uma casa com todo o conforto e funcionalidades, que hoje levaria meses para ser construída e decorada, poderá ficar pronta, completamente habitável e funcional, em questão de alguns dias.

4. Quais materiais são utilizados nesta construção?

Além dos materiais normais necessários para o acabamento, como janelas, fiação, encanamento, portas, fechaduras, entre outros, o processo de impressão de casas em 3D utiliza materiais como cimento e fibra de vidro na composição da massa que forma as camadas impressas uma sobre as outras.

Porém, uma empresa da área na China, a WinSun, já utiliza materiais reciclados, como sobras do próprio concreto misturado a recicláveis. A técnica utilizada pela empresa torna as casas feitas com impressão 3D um grande avanço também em direção à sustentabilidade ambiental, já que economiza matéria-prima e reaproveita materiais que, até então, eram transformados em lixo e poluição.

Na impressão 3D de modo geral, outros materiais são utilizados para fabricação de objetos menores e mais simples do que uma casa. Eles podem ser agregados aos acabamentos de uma construção, como para impressão de canos, fechaduras, torneiras, portas, janelas, e até objetos de decoração, entre outras partes de uma casa que não precisam necessariamente ser de cimento ou concreto.

Conheça, a seguir, alguns desses materiais e para que são utilizados.

Plástico PLA

É um material atóxico, biodegradável, disponível em diversas cores, de baixo custo e grande durabilidade. Tem acabamento brilhoso e é influenciado pela umidade. Por conta disso, seu uso é mais recomendado em objetos de decoração e acabamentos mais simples, como tampas de interruptores, por exemplo.

Plástico ABS

Assim como o PLA, também é de baixo custo e, por isso, bem popular. Porém, tem maior resistência térmica e mecânica, mas por ser derivado de petróleo, causa irritações em contato contínuo com a pele. Seu uso é recomendado para acabamentos embutidos, como conduítes elétricos.

Plástico PET

Seu custo é um pouco superior ao do ABS e do PAL, porém apresenta alta resistência mecânica e a impactos, além de ser translúcido, atóxico e muito leve. Ele poderia ser usado como uma alternativa aos vidros de portas e janelas, por exemplo.

Nylon

Seu custo é bem mais alto, além de ser mais difícil de ser encontrado. A grande vantagem é que o material se adapta a duas tecnologias de impressão 3D, podendo ser feito em filamentos ou em pó. Outro benefício do material é a sua flexibilidade, durabilidade e resistência química, o que dá a ele uma infinidade de utilizações.

Gesso

O gesso já um velho conhecido dos acabamentos arquitetônicos. Na impressão 3D, ele é aplicável na confecção de peças de grandes dimensões e com excelente nível de resolução, aceitando o processo de impressão colorido em CMYK. Ele torna possível a impressão de peças coloridas e com imagens realistas.

Se com o gesso branco que conhecemos hoje na decoração já se fazem acabamentos incríveis, imagine as possibilidades que o gesso impresso em 3D oferecerá ao mercado de arquitetura?

Resina

A resina apresenta acabamento suave na impressão 3D e alto nível de detalhamentos nas peças impressas. Por isso, pode ser usada para a confecção desde objetos de decoração até utensílios e acabamentos mais complexos de uma casa feita com impressão 3D, como os lustres ou portas de boxes.

Cerâmica

As peças impressas em cerâmica são muito resistentes a altas temperaturas, além de serem à prova d’água e terem um acabamento mais sofisticado que os demais materiais aqui citados. Além da impressão do objeto propriamente dito, ainda há uma camada de envernizamento responsável por deixar as peças mais bonitas e resistentes.

Metais

A impressão 3D também é possível utilizando metais, aço, alumínio, titânio, cobalto e até mesmo o ouro. Esses materiais podem ser usados na impressão dos acabamentos de uma casa como torneiras, fechaduras, dobradiças e peças de decoração.

Como se pode ver, há todo tipo de material para ser utilizado na construção de uma casa totalmente em 3D, incluindo a decoração e, quem sabe, até os eletrodomésticos.

5. Quais os custos de imprimir uma casa e quanto tempo leva?

Esses projetos menores mencionados até aqui, com no máximo 75 m², têm custado em média 10 mil dólares. Porém, a intenção da Icon é conseguir chegar a um custo de no máximo 4 mil dólares. Por meio de projetos de reciclagem de materiais, como o da chinesa WinSun, a tendência é que o custo se reduza mais ainda.

Já o tempo de impressão tem variado entre 12 e 48 horas, contando com o tempo utilizado para os acabamentos. Entretanto, a meta da Icon é construir uma casa de 650 m² entre 12 e 24h. Como já dissemos, o processo está em plena evolução e logo seremos surpreendidos por casas feitas com impressão 3D bem na rua onde moramos, que parecerão ter brotado do chão de tão rápida que foi a construção.

Claro que esse tempo e custo se referem à construção da casa em seu estado bruto, sem grandes detalhamentos ou acabamentos, tão pouco decoração. Mas se levarmos em conta todos os materiais que podem ser utilizados no processo de impressão 3D, concluímos que, com um pouco mais de tempo e dinheiro, será possível entregar uma casa totalmente funcional e decorada com impressão 3D.

6. Como as casas feitas com impressão 3D contribuem para a sustentabilidade ambiental?

Além do reaproveitamento de resíduos de construções convencionais para a confecção da massa de concreto, que imprime as camadas sobrepostas que compõem a casa, praticamente todos os outros tipos de materiais usados na impressão 3D provocam menor impacto à natureza e ao meio ambiente.

Além disso, elimina-se o uso de materiais como a madeira, reduzindo o desmatamento e o uso de equipamentos movidos a combustíveis fósseis, que contribuem para a poluição ambiental.

Outro benefício ao meio ambiente promovido pelas casas feitas com construção 3D é sua durabilidade prevista de 175 anos, o que reduz bastante o gasto de novas matérias-primas em reformas para consertar os estragos causados pelo tempo.

7. Quais são os projetos que trabalham com a impressão 3D de casas?

WinSun

A WinSun Decoration Design Engineering Co. é uma empresa de Xangai, pioneira no processo de impressão de casas em 3D. Seu projeto existe há cerca de 4 anos e visa a construção de casas simples, rústicas, utilizando matéria-prima barata e pouquíssima mão de obra.

Além disso, a WinSun também é a responsável pelo desenvolvimento de materiais para impressão de casas em 3D a partir de resíduos e sobras de construções convencionais. Ou seja, vem desenvolvendo técnicas de reciclagem da matéria-prima, contribuindo também com o meio ambiente.

A empresa pretende chegar a resultados e custo cada vez mais baixo com o objetivo de colaborar com um dos maiores problemas da China, que é a falta de moradia para sua numerosa população.

Apis Cor

A Apis Cor é uma empresa sediada em São Francisco e foi a primeira a levar o equipamento para realizar a impressão da casa no próprio canteiro de obras. Além das ideias de design diferenciado para as residências em 3D, ela também investe em pesquisas sobre a durabilidade e resistência do materiais utilizados.

Por isso, para comprovar se as casas são mesmo resistentes às condições climáticas adversas e às baixas temperaturas, ela construiu a sua casa de teste nada menos do que em Moscou, na Rússia.

New Story/ Icon

A parceria New Story com a Icon é o case do momento nas casas feitas com impressão 3D. A organização não governamental está buscando recursos por meio de doações realizadas pela internet, com o objetivo de entregar, até 2019, ao menos 100 casas para uma comunidade carente de El Salvador.

O projeto da ONG não prevê somente a construção de casas em 3D, mas de bairros inteiros, incluído escolas e pontos comerciais, a fim de gerar oportunidade de negócio aos moradores das comunidades que serão criadas.

Para isso, a ONG, antes de iniciar um projeto, estuda o local, a cultura e as necessidades das pessoas que serão atendidas. Eles conversam com essa população e procuram envolvê-la no projeto. Assim, é possível dar a ela mais do que apenas casas, mas também uma comunidade.

Por meio do projeto em El Salvador, a New Story pretende aprender para aprimorá-lo e levá-lo a outros lugares do mundo onde existam pessoas de baixa renda com problemas de habitação. O principal objetivo do projeto é devolver a cidadania a essas populações, transformando-as em comunidades autossustentáveis.

Todo o projeto é pensado somente para fins filantrópicos e ainda não se tem nenhuma ideia de se e quando a Icon disponibilizará a tecnologia para fins comerciais.

Project Milestone

O projeto Milestone, por outro lado, tem sim fins comerciais. Ele está acontecendo na cidade de Eindhoven, na Holanda, e prevê a construção de casas que serão administras, vendidas e entregues por imobiliárias da região já em 2019.

Uma das principais preocupações do Milistone é com a modernidade, o conforto e sustentabilidade ecológica das casas, que serão localizadas em bairros arborizados e onde a decoração com plantas esteja sempre presente.

8. Como contribuir com esses projetos?

Como já foi mencionado, o projeto New Story, do qual a Bossa Nova Sotheby’s faz parte, recebe doações em dinheiro por meio do site da ONG, no qual também se pode acompanhar as novidades sobre o projeto.

Lembre-se que a sua doação, além de contribuir para o desenvolvimento da tecnologia que permite a construção de casas feitas com impressão 3D, tem como principal objetivo retirar famílias desabrigadas das ruas ou de construções frágeis e perigosas e levá-las para casas seguras.

Além de abrigo, o projeto também garante a cidadania dessas pessoas, reunindo-as em comunidades produtivas, com trabalho e educação garantidos em bairros autossustentáveis e que se preocupam, respeitam e cuidam do meio ambiente. Portanto, a sua contribuição é de fato para um mundo melhor, em todos os sentidos.

9. Como as casas feitas em 3D afetam o mercado imobiliário e de decoração?

Por enquanto, o maior impacto tem sido no mercado de decoração. Este está diretamente ligado ao imobiliário, já que a impressora 3D funciona como um portal responsável por ligar virtual à realidade.

Ou seja, tudo que puder ser imaginado e desenhado em um software 3D, ao qual muitos arquitetos já estão habituados, poderá ser impresso para decorar uma casa. Por isso, não demorará muito para que as impressoras 3D façam parte dos equipamentos obrigatórios em escritórios de arquitetura.

Além disso, a criatividade, tanto de arquitetos quanto de clientes, será muito mais bem explorada e aproveitada, tornando possíveis coisas antes nunca nem pensadas — tanto do ponto de vista estético, quanto do funcional.

Já no mercado imobiliário propriamente dito, o impacto das casas feitas com impressão 3D chega primeiro, como visto, aos imóveis de baixo custo destinados à população carente, representando uma excelente solução para os problemas de moradia no mundo.

Mas, assim como em outros mercados, o impacto da impressão 3D não tardará a chegar ao mercado imobiliário de alto padrão, trazendo a ele uma novidade praticamente disruptiva. Isso não significa necessariamente a desvalorização dos imóveis tradicionais — ao contrário, acabarão se tornando cada vez mais raros e valorizados.

Por outro lado, a redução do custo e tempo de construção de uma casa, assim como diminuição de limites e consequente aumento de possibilidades, tornarão os imóveis de alto padrão cada vez mais inovadores, confortáveis, seguros e funcionais. Eles apresentarão vantagens e benefícios que os imóveis tradicionais jamais tiveram.

Além disso, quando se fala em custo reduzido, podemos pensar na ampliação do mercado imobiliário, já que pessoas cujas rendas antes não permitiam a aquisição de imóveis de alto padrão, nesse novo contexto, poderão adquirir casas maiores e mais confortáveis.

Resumindo, a impressão 3D, aliada a todas as demais tecnologias, como a Internet das Coisas (IoT), contribuirá para a redução dos problemas de habitação por meio de casas populares mais acessíveis, além da ampliação do mercado de alto padrão e da valorização dos imóveis tradicionais, que se tornarão cada vez mais raros.

10. Conclusão

Como vimos ao longo de todo o post, casas de alto padrão com decoração contemporânea feitas em 3D estão bem perto de se tornar uma realidade no mundo todo. A tecnologia de impressão de imóveis em 3D vem avançando a passos largos, junto com outras tecnologias capazes de revolucionar o modo como vivemos dentro de nossas próprias casas.

Claro que esse avanço trará grandes consequências para o mercado imobiliário e de decoração, já que junto com as casas feitas com impressão 3D vem também a internet das coisas (IoT), modernizando e automatizando tudo.

Você consegue imaginar como será esse futuro? Então, compartilhe este post nas suas redes sociais e divida essas ideias revolucionárias com os seus amigos!