O nosso paladar é um dos sentidos mais aguçados, nos proporcionando experiências únicas e incríveis, capazes de ativar nossas emoções. Os melhores restaurantes do mundo entendem bem isso. Não é à toa que são dirigidos por chefs renomados e ousados, dispostos a nos encantar com suas técnicas, arranjos e mix de ingredientes.

A culinária local pode não ser o primeiro motivo da lista que define seu próximo destino de viagem, porém, com toda certeza, é um dos fatores que tornam seu passeio agradável e inesquecível. Então, não deixe de conferir essa seleção dos 5 melhores restaurantes do mundo que serão o complemento certo na sua próxima estadia fora do Brasil!

1. El Celler de Can Roca – Gerunda, Espanha

  • Estilo culinário: destaques globais adicionados ao catalão contemporâneo;
  • Principais pratos: azeitonas congeladas, que explodem em sabor, colhidas diretamente de um bonsai de oliveira. Pequenas interpretações de pratos tradicionais bascos e uma sobremesa infundida com “essência de livro velho”;
  • Destaque: concha liofilizada de ostra, regada ao molho tártaro feito a partir do mesmo molusco.

Prosperando sob a criatividade do trio gastronômico de irmãos, El Celler de Can Roca já foi nomeado duas vezes o restaurante nº 1 do mundo. Os irmãos consideram-se “três cabeças e um chapéu”, pois cada especialização complementa a do outro.

Joan, o chefe principal e irmão mais velho, é considerado o arquiteto de sabores. Jordi é o confeiteiro e responsável pelas sobremesas mais espetaculares da Espanha. Então, temos o Josep, o irmão do meio, que tenta contrabalançar a irreverência de sabores e técnicas do menu do El Celler com vinhos curados ali mesmo, no interior da Espanha.

Roca significa rocha e é o sobrenome da família, que tem tradição em servir experiências saborosas e únicas às pessoas. Seus pais eram donos de um restaurante na mesma cidade, Gerunda, e ainda cozinham todos os dias para seus funcionários. O sobrenome é emblemático e acaba sendo representado por três rochas que fazem alusão a cada um dos irmãos.

O melhor restaurante do mundo não serve apenas qualidade em seus pratos deliciosos e refinados. Os três irmãos são Embaixadores da Boa Vontade do programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, oferecendo sessões gratuitas de bem-estar e psicologia para seu quadro de colaboradores.

A cidade de Gerunda, apesar de ser no interior da Espanha, é também uma região litorânea, proporcionando belas vistas da costa marítima. A área é de fácil acesso para a Itália, levando poucas horas para cruzar a fronteira entre os países. Vale a pena estudar a opção de residência internacional por lá, pois reúne vários atrativos, como localização privilegiada, clima e cultura.

2. Osteria Francescana – Modena, Itália

  • Estilo culinário: italiano contemporâneo;
  • Principais pratos: cinco idades do parmigiano reggiano, levando o paladar por um passeio nos queijos da região. A sopa do Mar Adriático, sendo formado por um “navio pirata” de massa de torta, recheado com caracóis do mar, mariscos, lagostas azuis e trufas;
  • Destaque: sola mediterrânea.

O Osteria Francescana é o lugar onde arte e música encontram a gastronomia. O chef Massimo Bottura inspira-se, principalmente, no Jazz para criar novos pratos e misturas. Além disso, a área social do restaurante é composta por três ambientes elegantemente decorados com arte contemporânea de alta qualidade.

Apesar da fama internacional e da grande personalidade de Massimo Bottura, a Francescana mantém-se um discreto e pequeno local para os sabores da modesta cidade do interior da Itália. Mesmo assim, o recinto consegue entregar a melhor experiência culinária do mundo, combinando toques de tradição e modernidade.

Em seus primórdios, esse excelente restaurante do mundo quase foi fechado, devido a moradores locais conservadores tentarem resistir a sua abordagem moderna à culinária tradicional. É uma bênção dos deuses que o casal Massimo Bottura e Lara Gilmore tenham resistido, para que agora possamos ser agraciados com seus pratos.

3. Arpege – Paris, França

  • Estilo culinário: francês contemporâneo;
  • Principais pratos: bolinhos recheados com legumes da estação e carpaccio de lagostim com caviar;
  • Destaque: jardineira de arlequim regado com sêmola de óleo de argan.

Alain Passard é o chef que cria o cardápio flutuante há mais de 20 anos em Paris, no restaurante Arpege. Apesar disso, o menu conta com pratos tradicionais assinados pelo culinarista, combinando-os com as estações. Dependendo da época do ano, é bom reservar com antecedência, pois as primeiras provas de aspargo e trufas negras costumam lotar a agenda do restaurante.

O Arpege é muito bem localizado, ficando no 7º arrondissement de Paris, tendo uma vista privilegiada da Torre Eiffel, um ótimo lugar para se morar e respirar o ar da cidade Luz. Seu cardápio é repleto de vegetais, contendo pequenas porções de carne. Ideal para quem busca alimentação vegetariana ou vegana.

Esse é um dos melhores restaurantes do mundo e foi adquirido em 1986, sendo antes de propriedade do próprio mestre de Passard, o chef Alain Senderens. Sua decoração é toda em art déco e conta, também, com uma horta orgânica, de onde são retirados os elementos para o menu — além de doarem parte para a comunidade todos os dias.

4. Gaggan – Bangkok, Tailândia

  • Estilo culinário: cozinha indiana progressiva;
  • Principais pratos: pequenas interpretações de pratos inspirados no México, Japão e Índia, como sushi de nigiri e tacos com curry. Há também biscoitos Oreo de berinjela;
  • Destaque: Lick It Up — um prato principal com base em curry saborizado que deve ser lambido diretamente do prato.

O chef indiano Gaggan Anand dirige o melhor restaurante do mundo na Ásia, tendo essa classificação pelos últimos quatro anos seguidos. Porém, mesmo assim, ainda investiu em outras raízes gastronômicas, como hamburgueria, cervejaria artesanal e culinária alemã. O cardápio principal conta com petiscos variados e que são comidos com os dedos.

Inicialmente o menu contava apenas com receitas indianas. Entretanto, com o conhecimento adquirido em viagens feitas por Anand, foram incrementadas roupagens de culinárias internacionais à tradicional de seu país. O diferencial de Gaggan Anand está no mix de ingredientes indianos e tailandeses com pratos típicos de outros países.

Além disso, a apresentação tende sempre ao desafio, apelando para o visual excêntrico e instigando o uso do corpo para saborear — lamber, pegar com dedos —, o que torna mais convidativa e curiosa a experiência de conhecer a culinária experimental de Gaggan Anand.

Apesar do tremendo sucesso que seu restaurante faz em Bangkok, o chef Anand já anunciou que encerrará as atividades do Gaggan em 2020. Após, ele pretende abrir um pequeno restaurante em Fukuoka, Japão, com seu colega e amigo chef Takeshi ‘Goh’ Fukuyama — proprietário do restaurante francês La Maison de la Nature Goh.

5. Eleven Madison Park – Nova Iorque, EUA

  • Estilo culinário: europeu moderno com toque de Nova Iorque;
  • Principais pratos: pato assado envernizado com mel, acompanhado de maçãs e rutabaga;
  • Destaque: cheesecake de esturjão defumado ungido com uma montanha de caviar.

Suíço e naturalizado estadunidense, o chef Daniel Humm é quem dirige o famoso restaurante cosmopolitano de Nova Iorque, situando-se à frente do Madison Square Garden Park — um exuberante complexo de eventos musicais e esportivos. Inclusive, a região é muito privativa, reunindo apartamentos de luxo e serviços importantes de infraestrutura a seu redor, ideal para uma residencia internacional estratégica.

A carreira de Daniel é de um sucesso ímpar. Iniciou como culinarista aos 14 anos e já com 24 ganhou sua primeira estrela no famoso catálogo de viagens da Michelin. Em 2006, virou chef executivo do Eleven Madison, quando ainda era propriedade de um grupo corporativo.

O local foi reformado recentemente, em meados de 2017 — logo após ser classificado o melhor restaurante do mundo na América do Norte —, tornando consistente o estilo minimalista do cardápio para as decorações. A cor predominante é azul-cobalto, que pode ser visto em suas banquetas de mohair.

O salão de jantar é ricamente decorado com pinturas de Rita Ackermann, além de servir um menu completo de 8 a 10 pratos. Já o bar do restaurante oferece degustações rápidas e completas de cinco pratos — ideal para quem precisa de uma refeição entre uma reunião e outra, aprimorando a visita à capital mundial dos negócios.

Os melhores restaurantes do mundo oferecem oportunidades exclusivas e únicas de experimentar sabores diferentes da culinária internacional. Agregado a isso, a cultura local toma outra forma e sabor, mostrando-se presente nas influências criativas de cada chef para criar o cardápio perfeito. O sucesso de combinações os levou ao topo do mundo dos restaurantes mais requintados e restritos.

Aproveite para conhecer os 10 restaurantes mais badalados de São Paulo!