Internacional

Solo Travel: inspire-se e aproveite a própria companhia

Em uma conversa exclusiva para o Blog da Bossa Nova, a jornalista de viagens Andrea Miramontes destaca os principais pontos na hora de criar o roteiro ideal

Em 2006, a escritora Elizabeth Gilbert lançou a bíblia das mulheres viajantes com a obra Comer, Rezar e Amar. A autobiografia narra a viagem da autora para a Itália, Índia e Indonésia após o divórcio, e todos os seus aprendizados em diferentes áreas da sua vida. Em 2010, o livro se transformou em filme estrelado por Julia Roberts no papel principal e pavimentou o caminho para que outras mulheres se sentissem livres para criar suas próprias rotas e caminhos ao redor do mundo.

Segundo levantamento nas principais plataformas de viagens, as mulheres lideram o movimento de ‘solo travels’ mundo afora.Viajar por conta própria tem muitas vantagens práticas. Não é preciso se preocupar em acomodar a agenda, interesses ou necessidades de outra pessoa e a decisão sobre o que e quando fazer é livre. Viajar sozinha também traz alguns benefícios mentais e emocionais devido a sensação única de liberdade, libertação e autossuficiência.

Montar um roteiro solo é uma grande oportunidade de aprendizado e autodescoberta, independentemente do gênero. Com o avanço da tecnologia e da internet, tornou-se mais fácil para as mulheres que viajam sozinhas encontrar a escolha certa e embarcar em viagens memoráveis.

Em entrevista para o Blog da Bossa Nova, a jornalista de viagem e influenciadora digital, Andrea Miramontes, tirou algumas dúvidas sobre como criar o passo a passo para uma viagem na sua melhor companhia, desde a quebra dos preconceitos até dicas para uma experiência mais segura. Confira:

– O que é mais importante destacar quando for montar uma viagem sozinha?

São vários pontos, mas vou citar 3. 

Em primeiro lugar, deixe sempre alguém da sua confiança ciente da viagem e roteiro. Descreva os números dos voos, hora de chegada, onde se hospedará, quantos dias vai ficar e rota, caso vá se locomover a mais cidades.

Segundo, não deixe as reservas só no celular, tenha tudo impresso. Hoje, sempre tenho uma pasta com todas as minhas reservas, recibos e pagamentos guardada na mala. Aprendi na prática e no perrengue.

Há 10 anos, perdi meu celular em um trem na Europa. Não o recuperei e sofri muito, pois havia deixado todas as reservas no mundo digital. Foi um sufoco, até porque meu email travou, e eu não conseguia acessar do hotel onde estava.

Em terceiro, a reserva financeira. Sempre tenha um X de dinheiro na mala ou um cartão desbloqueado extra guardado lá, quando possível. Ponha cadeado na mala, sempre. Caso perca cartão, bolsa ou aconteça algo, você tem como se virar sozinha com menos estresse.

– O que fazer para se sentir mais segura?

Há duas coisas essenciais, além das citadas acima. Tenha atenção durante os transportes e saiba seu limite, inclusive alcoólico. 

Durante os roteiros em que está com malas, prestes a pegar algum transporte, esqueça as distrações do celular e preste atenção. Procure sempre chegar antes aos locais, para procurar com calma: portões de embarque, vagões de trem, plataformas de ônibus.

Bebida também pode causar problemas. Quando está sozinha, você tem que saber seu limite para ter discernimento e voltar sozinha com segurança e lucidez à hospedagem. 

Também não aceite bebida de estranhos e tenha muito cuidado com encontros de aplicativos, caso use algum app. As regras de marcar em local público e desconfiar sempre são de ouro, em qualquer lugar do mundo.

– Falando em segurança, existe algo que deve ser evitado em viagens solo para não correr nenhum risco?

Há várias coisas para minimizar riscos, como as que citei acima.

Uma bem importante é programar-se para chegar e partir do destino durante o dia. Isso vale especialmente se é um local novo para você e se, como eu, a viajante gosta de descobrir transportes públicos como trens e ônibus do aeroporto ou estação até a hospedagem.

– Quais são os destinos de viagens internacionais que mais têm sido procurados por mulheres que adoram viajar sozinhas?

Vejo muita procura de viajantes mulheres por Estados Unidos, Canadá e parte da Europa, lugares onde se sentem seguras.

– Ainda existe uma barreira na sociedade quando se fala em viagem solo?

Sim. Mas as barreiras caem a cada ano. E a mais importante para derrubar é a que você mesma estabelece. Muitas viajantes me procuram com medos triviais, como pegar transporte público em outro país sem ter acompanhante, comer sozinha em restaurante, sentir-se solitária em um ponto turístico.

Mas isso tudo é bobagem. Sinceramente, amo cada uma dessas opções sozinha, porque me dá mais liberdade de fazer o que eu quiser, ficar quanto tempo eu desejar, sem depender da preferência de outros.

– Existe alguma dica na hora de preparar a bagagem para uma pessoa só?

Sim, quanto mais leve e menos volume, melhor. Seja prática. Nada de levar mala e mais mil sacolas ou bolsas. Leveza também faz toda diferença para se virar sozinha. Muito volume e peso atrapalham na hora de pegar trens e ônibus, de andar na rua com a bagagem, o que requer atenção e agilidade.

– Pensando na América do Sul, quais países possuem os melhores destinos para aproveitar sozinha?

Gosto muito de Chile, Argentina e Uruguai, que é um país seguro e delicioso para passeios.

Depende muito do que a viajante procura. O deserto do Atacama, por exemplo, é um destino sensacional para descobrir só. Patagônia tem paisagens dignas de cinema, e a pessoa fará trilhas inesquecíveis.

Recentemente, estive em Salta, na Argentina. Simplesmente amei a cidade e os passeios. Tem voo direto do Brasil e é um destino delicioso, muito seguro para desbravar solo.

– Entre os principais locais, podemos citar Punta del Este, no Uruguai. Além das praias referências, qual a sugestão de passeio que você indicaria para quem pretende conhecer a cidade?

Já fui várias vezes para Punta e, em todas, visitei a Casapueblo, de arquitetura icônica do artista Carlos Páez Vilaró. Inclusive, em uma das oportunidades, há muitos anos, encontrei com ele por lá.

A dica é ir na à tarde para pegar o pôr do sol, quando o sol cai no mar narrado pela poesia do artista. É um dos mais lindos do mundo. Não perderia por nada.

Amo também José Ignacio, um vilarejo descolado a menos de uma hora de Punta. Vale passar uma noite pelo menos no local e pegar um pôr do sol em um beach club à beira-mar.

Shutterstock

– O que esperar da gastronomia do lugar?

Come-se muito bem no Uruguai. Indico não perder o clericot uruguaio, que eles preparam com maestria. Clericot é uma bebida fresca de vinho e frutas, que combina muito com o pôr do sol.

– Como explorar a vida noturna de Punta del Este?

Há várias casas noturnas. Pessoalmente, prefiro pegar os beach clubs, lugares pé na areia com DJ, nos quais você curte música ao pôr do sol. Eles têm vários lugares lindos desses por lá. Combine com uma taça de clericot e não tem como errar.

– Informações finais que considera importante

Pesquise e estude muito bem o destino antes de ir. Saiba os costumes locais, descubra se há bairros perigosos, para evitar, organize, de antemão, como vai chegar do aeroporto ou estação de trem/ ônibus para a hospedagem. 

Não deixe para descobrir tudo isso na hora. Informação consistente vai te deixar ainda mais segura para aproveitar um destino sozinha.

Posts relacionados
Internacional

Os sete lugares excepcionais na África do Sul

Muito além do safári, a África do Sul oferece todos os elementos para férias…
Ler mais
Internacional

Descubra o luxo dos destinos mais exclusivos com a Bossa Nova Sotheby’s

De mansões nas Bahamas a residências na Toscana, separamos algumas propriedades que dão vida ao…
Ler mais
Internacional

Dubai: O destino do futuro para investidores globais

Descubra como Dubai se tornou a segunda cidade mais visitada do mundo e um destino atraente para…
Ler mais