Internacional

O que faz os hotéis dos Emirados Árabes receberem o título de 7 estrelas?

O Blog da Bossa Nova traz detalhes de um passeio nos grandiosos Emirates Palace Mandarin Oriental e Burj Al Arab para você tomar nota antes de conhecer pessoalmente

Crescemos entendendo que quando se trata de estrelas, quanto mais melhor, e os hotéis 7 estrelas ao redor do mundo reforçam ainda mais essa teoria. Esses lugares não apenas refletem luxo e classe atemporais, mas também se orgulham de exteriores elegantemente projetados em cenários expansivos de uma forma que os torna extraordinários.

No entanto, uma classificação de 7 estrelas é mais um padrão “popular” do que oficial. Tornou-se uma tendência depois que um jornalista compareceu à inauguração do Burj-Al-Arab, em Dubai, e pensou que uma mera classificação de 5 estrelas não fazia justiça à sua grandeza.

O que torna um hotel 7 estrelas?

Embora não haja nenhum padrão internacional de classificação para descrever o que permite que um hotel ganhe as estrelas pelo tipo de conforto, luxo e hospitalidade que oferece, alguns países seguem seus próprios critérios, enquanto outros seguem uma classificação mutuamente padronizada em nível regional.

Entre os mais conhecidos estão o Emirates Palace Mandarin Oriental, em Abu Dhabi, por garantir a melhor fusão de estadia e jantar e o Burj Al Arab, em Dubai, por ser o mais caro. Confira suas principais características!

Emirates Palace Mandarin Oriental

Dentro de 3 anos, a construção do Emirates Palace custou U$ 3 bilhões e contou com a mão de obra de 20 mil operários. Esse luxo transformou o lugar em uma das principais atrações turísticas da capital Abu Dhabi. 

O número expansivo reflete na quantidade de serviços que o local oferece. Ao todo são 102 elevadores e 114 cúpulas. Se o desejo é ficar na Suíte Royal, a maior de todas, a diária sai por quase R$ 80 mil. Mas se a visita for rápida, a diária para duas pessoas com café da manhã em um quarto com varanda e vista completa da cidade, sai em torno de R$ 3 mil.

Em sua decoração, o hotel coleciona objetos de outras regiões do mundo, como mármores de 13 países, tapetes confeccionados na Tailândia e mais de mil lustres. Aquele ditado que diz tudo o que reluz é ouro é levado a sério, pois além dos itens brilhantes, aproximadamente 5 quilos de ouro comestível puro são utilizados por ano em receitas. O Cappuccino Dourado, inclusive, bebida mais famosa por lá, é servido com decoração de raspas douradas no Le Café.

Entre as exclusividades oferecidas aos hóspedes, a que mais chama atenção, sem dúvidas, é a praia privativa de 1,3 quilômetro de extensão, além do spa com tratamentos feitos com ouro, pérolas e minerais. A pista de corrida e ciclismo de 6,5 quilômetros também é um diferencial.

Burj Al Arab

O Burj Khalifa pode deter o título de prédio mais alto com seus 828 metros de altura. Porém, o prêmio de construção mais icônica de Dubai, sem dúvidas fica nas mãos do Burj Al Arab.  

A arquitetura conhecida por imitar um veleiro é banhada pelas águas do Golfo Pérsico e o estabelecimento não poupa limites quando o assunto é conforto e luxo: além da composição vaidosa em seu interior e exterior, a Suíte Real no Burj Al Arab tem diárias a US$ 8.900.

Contando 321 metros de altura, o hotel foi construído sobre uma ilha artificial no meio do mar, conectada à costa de Dubai por uma ponte. Os hóspedes e visitantes têm a opção de chegar até lá por terra ou de helicóptero. Logo na entrada principal, a fonte utilizada para shows aquáticos é a primeira atração. 

Para acessar as suítes, os visitantes percebem a decoração aquática que inspira o ambiente, ao encontrarem uma cachoeira dentro de uma das áreas sociais, além do pátio central que, de acordo com o hotel, é o mais alto do mundo, com 180 metros de altura.

Entre os elementos que compõem o design interior estão os pisos e as paredes feitas de mármore italiano, carpetes confeccionados na Índia e África do Sul e lustres do Reino Unido.

Diferente do Emirates Palace, o Burj Al Arab oferece duas Suítes Reais que ocupam todo o espaço do 25º andar, e cada uma delas possuem uma escada feita com ouro e mármore conectando ao piso superior, onde os visitantes podem usufruir de uma sala de cinema privativa e quartos luxuosos. 

Através das imensas janelas panorâmicas, é possível registrar momentos incríveis da metrópole e do Golfo Pérsico (também chamada de Golfo Árabe pelos nativos).  

Entre os serviços básicos disponíveis nos quartos – contando os Reais – estão 17 diferentes tipos de travesseiros, disponibilidade de mordomo, computadores iMac e televisões de 42 polegadas.

Dentro do hotel, os turistas podem desfrutar das melhores opções da alta gastronomia, como é o caso do Al Muntaha Restaurant, no 27º andar. Para chegar até lá, utiliza-se os elevadores que viajam a seis metros por segundo. O Bab Al Yam também garante uma das melhores vistas para o mar além de um menu completo e inusitado.  

*Todos os preços citados neste texto estão sujeitos a alterações

A Sotheby’s International Realty está presente em mais de 80 países, incluindo os Emirados Árabes. Fale com um consultor da Bossa Nova e tenha a assessoria internacional de nossos especialistas.

Posts relacionados
Internacional

Crescimento do mercado imobiliário de alto padrão em Portugal atrai investidores estrangeiros

O mercado imobiliário de luxo em Portugal tem se destacado pela qualidade de vida, segurança e…
Ler mais
Internacional

Os bairros mais procurados em Orlando por brasileiros

Consultora imobiliária, Carol Medeiros, revela as tendências no mercado de imóveis de…
Ler mais
Internacional

Entenda por que os brasileiros estão buscando a Espanha como novo lar

Com clima agradável e alta qualidade de vida, o país se apresenta como uma boa opção para morar…
Ler mais