De composições luxuosas à propostas minimalistas, como incorporar o estilo lavish aos ambientes

 

O glamour, o brilho, o luxo – Hollywood Regency é o tipo de decoração baseada no drama. E isso não é nenhuma surpresa. Este estilo se originou nos icônicos sets de filmagem da Hollywood entre o final de 1920 e 1950, uma época em que estrelas como Joan Crawford e designers como Dorothy Draper estavam no auge. “Ele foi desenvolvido como uma forma de retratar a opulência maximalista que se traduziria bem na tela”, diz Cheryl Eisen, fundadora e presidente da Interior Marketing Group em Nova York, empresa de design e marketing de imóveis de luxo.

O lavish design passou a ser o favorito entre os cenógrafos “por causa de suas linhas exageradas, padrões dramáticos e cores de alto contraste, que se tornaram cenários suntuosos em filmes preto e branco da época”, conta Kimberly Colletti, da KC Design, em Los Angeles. A atmosfera Hollywood Regency não foi criada apenas para os filmes, mas também como uma forma de escape, de negacionismo. “O estilo foi uma reação à austeridade da Depressão e um desejo de tornar a vida mais glamorosa”, diz Martin Brudnizki, do Martin Brudnizki Design Studio, com unidades em Londres e Nova York. “Era uma época em que todos procuravam fantasia e os filmes proporcionam essa fuga.”

 

Comoda em azul cinzento colocada estrategicamente em frente um parede de espelhos | Hollywood dá o tom na decoração
Quarto projetado por Kimberly Colletti usa cores de alto contraste para destacar o visual

 

Colletti cita William Haines, um ator de Hollywood, hoje visto como o pai do estilo Hollywood Regency e que se tornou um designer conhecido por criar casas opulentas para clientes como Joan Crawford e Betsy Bloomingdale nas décadas de 1930 e 1940. “Mais tarde, no início dos anos 2000, o estilo teve um renascimento, em grande parte gerado por designers da então florescente indústria de hotéis boutique. Hoje ainda é um estilo cativante, que agrada a quem procura uma sensação de glamour que complementa muitos estilos arquitetônicos”, diz ela.

A estética emprega motivos clássicos com silhuetas exuberantes e detalhes simples, às vezes até contemporâneos, apresentando formas dramáticas como vieiras ou padrões ousados ​​como listras grossas, estampas de leopardo ou xadrez, diz Brudnizki. É sempre elegante, refinado e repleto de elementos teatrais muito fortes, diz Lori Morris, fundadora da Lori Morris Design, em Toronto. “Pense em grandes estampas, cores ousadas, superfícies reflexivas e iluminação brilhante – espaços que têm tanta personalidade quanto seus proprietários famosos”, diz ela.

 

Sala toda em azul com lustres de cristal, lebra uma biblioteca. Amplas poltronas compõe o lugar |
Este salão de Lori Morris tem um toque extra glamoroso com seus materiais de pelúcia e lustre de cristal

 

Eisen define o estilo como uma mistura de ecletismo glamouroso com um toque contemporâneo e ousado: “O objetivo é enfatizar o estilo de vida de uma pessoa elegante e extravagante, que é tipicamente social, viajada e adora entreter.”

Ouro, vidro, laca, elementos de design de alto contraste, veludos, latão e tons profundos misturados com elementos e acabamentos reflexivos: a decoração no estilo Hollywood Regency não é o tipo de visual que terá um papel coadjuvante em sua casa. Pelo contrário, será a estrela.

 

Escolha uma cor

Preto, branco e metálico são os tons mais comuns na decoração de Hollywood Regency, diz Colletti. “Como o estilo nasceu na era preto e branco da magia do cinema, ainda está fortemente associado ao visual”, diz ela.

Nas décadas mais recentes, também é comum integrar tons de joias, como amarelo canário, verde esmeralda, azul safira – seja como um pequeno detalhe ou uma grande expressão – muitas vezes em contraste com preto ou branco. “Normalmente, os espaços apresentam menos cores, duas ou três usadas em alto contraste para muito drama”, diz Colletti.

 

Sensível ao toque

Exuberância e luxo são os princípios orientadores quando se trata da seleção de têxteis do Hollywood Regency, diz Colletti. Pense em veludos, sedas, mohair, até mesmo peles artificiais, enfeites com rosca de metal e borlas.

“Esta era tem tudo a ver com texturas que chamam a atenção e uma miríade de tons, do sutil ao forte”, diz Marina Hanisch, da Marina Hanisch Interiors, de Manhattan. Use padrões em negrito, incluindo tons gregos, animal print e peles; uma mistura de elementos de peças decoradas Art Déco a peças contemporâneas; paletas opulentas e ricas; e texturas suaves. 

 

“Pense mais é mais – peças que chamam a atenção e parecem sexy”, diz Hanisch.

 

Acabamentos laqueados de alto brilho como metais, esmaltes e dourados também são essenciais para o visual, diz Colletti, assim como linhas exageradas (uma porta da frente alta e estreita pintada de preto brilhante com ferragens de latão brilhante, por exemplo) e alto contraste. Os móveis costumam ser baixos, “para fazer os atores parecerem mais altos”, diz Colletti.

“As peças típicas incluem assentos acolchoados e rebaixados, cadeiras com pernas dramáticas e frequentemente abertas, barzinhos móveis dourados e mesas laterais delicadas com pés e detalhes metálicos”, diz Colletti. 

“O piso é outro espaço para mostrar arte e design”, diz Morris. Tapetes adicionam uma camada de textura e interesse. Ela sugere o uso de um padrão de gradiente que desvanece de uma tonalidade para a seguinte, um motivo moderno adamascado em cremes suaves ou uma ousada estampa animal print. Eisen recomenda grandes padrões geométricos ou cores profundas em tons de joias para criar o estilo Regency sob os pés.

 

Espelho, espelho meu

Espelhos e superfícies reflexivas combinam bem com esse estilo – seja como uma peça de destaque ou uma grande parede. “Pense em paredes de vidro fumê com faixas em latão e rosetas. Ou, se isso for demais para você, pendure um lindo espelho de vidro antigo acima de um aparador bem contemporâneo recém-laqueado, incorporando o antigo com o novo ”, diz Morris.

Certifique-se de que a iluminação da decoração também ocorra. “Seja ousado e criativo; a iluminação deve cintilar e brilhar, ela deve ser a joia da coroa da sala”, diz Morris. E não tenha medo de misturar metais como latão antigo, latão brilhante e prata, acrescenta ela.

Sala de jantar planejada com marmore, lustre de cristal e uma grande mesa de madeira com cadeiras estofadas | Hollywood dá o tom na decoração
Cozinha projetada por Lori Morris usa muito mármore

 

Um ato de equilíbrio

“Uma impressionante luminária, um gabinete em laca de morrer com detalhes de metal, uma cadeira voluptuosa, papel de parede requintado – tudo isso exigindo a atenção do observador ao mesmo tempo. A chave é a mistura de muitas peças de decoração”, diz Morris. Eisen recomenda balancear padrão, cor e detalhes metálicos com peças neutras e acessórios orgânicos para que você não se canse do ambiente.

Para criar sinergia, “trata-se de como os têxteis funcionam uns com os outros, trabalhando simultaneamente uns com os outros e uns contra os outros, para evocar uma sensação de puro luxo – veludos de pelúcia contra texturas de tecido mais ásperas, sedas e cetins brilhantes misturados com peles macias”, diz Morris . E não se esqueça das paredes: painéis estofados, papel de parede texturizado ou uma parede focal de diamantes acolchoados, diz ela.

No entanto, o estilo não se limita apenas ao interior da sua casa, diz Colletti: “Cabanas, salas de jantar ao ar livre e áreas de estar são todos ótimos lugares para usar uma paleta de alto contraste com um número limitado de cores, bem como móveis de formato dramático.” De acordo com ela, é um estilo que decreta instantaneamente a um ambiente. “Este é um lugar para se divertir e se sentir glamouroso.”

Fonte: Reside

 

Quer conhecer nossas oportunidades de imóveis decorados? Entre em contato com a Bossa Nova e fale com um de nossos consultores.

 

Leia também

Coastal Style

Pantone 2021

Coleção BNSIR: Quartos infantis decorados

Decoração moderna: como colocá-la em prática na sua casa?

Projetos de arquitetura e design de interiores que valorizam os imóveis