His name is Dixon…. Tom Dixon. Ele não é agente de sua majestade, mas tem uma condecoração concedida pela coroa britânica. A ele foi entregue em 2001 a grande ordem do Império Britânico, como reconhecimento do seu trabalho na divulgação do país.

Dixon agradeceu e continuou na defesa dos valores que acredita para o Design. Não corre atrás de quem tem diferente opinião, mas não desiste do percurso que iniciou há 30 anos.

É desde a juventude uma personagem carismática. Teve uma banda de rock nos anos 80 e logo cedo se habituou aos holofotes da mídia.  

O criador nasceu no final da década de 50, na Tunísia. Filho de uma mãe Tunisiana e de pai Inglês. Desde a tenra idade, a sua paixão confessa pelas motos, levou-o a pegar nas ferramentas e a soldar barras de aço e parafusos. A originalidade e a solidez do seu trabalho fez com que surgissem vários convites para expor em Galerias de Londres.

Poltronas  S Chair, Bird Chair, e Pylon Chair

Daí ao mobiliário foi um passo. A ‘S Chair’ de 1991, foi das suas primeiras criações: Uma cadeira escultural  com estrutura metálica, fios trançados e uma base circular, e que se tornaria um dos ícones da sua carreira de Designer industrial.

Rapidamente suscitou o interesse da gigante italiana Cappellini que a editou entre 1992 e durante 10 anos.

Hoje está no catálogo da própria Tom Dixon, a marca que o criador acabou fundando em 2002 em Londres.  

Ao longo do percurso da sua carreira, Tom foi sempre autodidata. Focado na produção de Design industrial, tudo cria sem desenhar um único traço no papel. Prefere se auto-intitular de ‘industrial’.

Blue Bell lamp, Copper Wide pendant Blue, e Copper round pendant Blue

Tem mais de meia centena de peças editadas, sendo as coleções de iluminação as mais representativas da sua carreira.

Com quase 30 anos de produção, e uma invejável forma criativa,  o nome e a marca são indissociáveis uma da outra.

Nos últimos anos, Tom Dixon tem ocupado, ano sim, ano não, o Teatro Manzoni em Milão, durante a semana do Design em abril,  fazendo dele o palco internacional das suas coleções de mobiliário e iluminação, numa espécie de pocket show, sempre muito concorrido.

O Victoria and Albert Museum, o Pompidou de Paris, e o MoMa de Nova York são 3 dos maiores museus de Design do mundo que adquiriram as peças mais emblemáticas do designer e as têm orgulhosamente no acervo.

Uma missão que não salva o mundo, mas nos deixa a promessa de ver o bom Design em lugar seguro.

 

Foto de destaque: Luminária Mirror ball stand chandelier e Wingback chair 

 

Assinatura: QuartoSala-Home Culture