As pinturas florais estão voltando à moda, as casas de campo estão recebendo elevadores modernos e a sua sala pode te oferecer uma “experiência” com ajuda do design. Aqui estão as últimas tendências em arte, arquitetura e design.

ARTE

Uma nova geração de artistas está dando vida a um assunto: o floral. As obras, que variam de plantas tradicionais a abstrações de vanguarda e imagens fotográficas ousadas, são retratos íntimos da natureza em todas as suas fases gloriosas. O fotógrafo de Estocolmo, Carl Kleiner, costuma empregar flores em seus trabalhos, criando imagens onduladas com hastes e pétalas em posições incrivelmente caprichosas. O pintor de Belfast, Ted Pim, cria buquês de rosas em óleo sobre tela nos últimos 15 anos. As obras, que custam entre US $ 3.000 e US $ 22.000, são brutalmente meditativas e literalmente retratam o que é sutil.

“As rosas são um símbolo do amor, mas também podem ser incrivelmente escuras”, diz ele. “Eu cresci ouvindo as leituras de tarô que a avó de meu amigo fez e aprendi que a rosa é um símbolo de equilíbrio. Expressa promessa, novos começos e esperança. Seus espinhos representam defesa, perda e falta de consideração. Eu uso esses temas no meu trabalho para criar belas obras de arte.”

Inspirado pelas obras da pintora holandesa Rachel Ruysch, do século XVIII, Pim falha deliberadamente em “cenas florais perfeitas, com cada centímetro analisado e superanalisado em busca de imperfeições”, pingando uma mistura de tinta branca sobre o trabalho no final para enfatizar a imprevisibilidade e fragilidade da vida. “É emocionante derramar a mistura sobre os óleos, tentando equilibrar os elementos de destruição e criação”, diz ele. “Muitas pessoas perguntam se as flores que pinto estão morrendo ou ganhando vida. Eu prefiro que eles decidam.”

ARQUITETURA

A casa de campo moderna é uma das mais recentes manifestações da busca por criar uma residência clássica e confortável, adequada para a vida casual e contemporânea.

As casas híbridas, que são, por fora, simples, apresentam interiores opulentos em plano aberto e estão adequadas para explorar o sol e a brisa natural.

“Casas de campo modernas combinam formas tradicionais com a claridade, simplicidade e abertura da arquitetura moderna de meados do século”, diz o arquiteto Matthew Griffith, diretor do estúdio in situ em Raleigh, Carolina do Norte. “Casas de campo não eram para serem decorativas – eram práticas, e eram lugares bonitos e tranquilos.”

As casas com estrutura de madeira, que normalmente têm telhados metálicos, seguem as dicas de design vernacular de casas de fazenda, mas parecem mais austeramente elegantes que o rural.

“Os espaços interiores nem sempre são um cômodo”, diz Griffith, observando que em um projeto, uma escada serve como um conector arquitetônico.

Ele diz que combinar espaços internos e externos, tornou-se tão popular, que “é um movimento – arquitetos estão usando o termo ‘casa de campo moderna’ para descrevê-los. Há cinco anos, quando projetamos nossa primeira casa, a pedido de um cliente, era uma novidade.”

Casa|Itupeva|São Paulo|54242

As pinturas florais estão voltando à moda contemporânea, as casas de campo estão recebendo elevadores modernos e os espaços estão oferecendo “experiências” de design. Aqui estão as últimas tendências em arte, arquitetura e design.

DESIGN

Os ambientes em que vivemos não devem ser simplesmente observados, mas eles também atraem as emoções. Esse é o credo do design experimental, cujos espaços estimulam os cinco sentidos.

Becky Shea, cuja firma de design de mesmo nome está sediada na cidade de Nova York e Los Angeles, vê esse design como “terapia holística” que cria “uma calma subconsciente”.

Em seu interior, ela evoca memórias com materiais, som ambiente meditativo, paredes vivas e um perfume de assinatura difundido pelo sistema HVAC (Heating, Ventilating and Air Conditioning).

Em um projeto que seus clientes estavam reformando a casa da família, ela usou o piso antigo para criar armários embutidos para a sala de café da manhã. “Agora, todos os dias, eles são lembrados das memórias que foram criadas no chão”, diz ela.

Para outra casa, ela projetou um tapete personalizado de tamanho grande que combinava com o material do suéter favorito do cliente. “Ela nos disse o quanto ama a experiência de acordar e mexer os dedos dos pés no tapete de alpaca antes de começar o dia”, diz Shea.

Becky Shea usou pisos antigos que significavam algo para seus clientes para criar embutidos em uma sala de café da manhã

Entrar profundamente na psique do cliente é a chave do processo. “Se o design convencional é como namorar, o design experimental é mais como se casar com dois filhos e um cachorro”, diz ela. “Conhecemos todos os detalhes sobre nossos clientes, desde que tipo de desodorante eles usam até onde passavam férias quando crianças.” Shea diz que sabe que o design é bem-sucedido “quando os clientes nos dizem que nunca se sentiram tanto ’em casa'”.