Castiglioni e o Design italiano são dois substantivos que naturalmente convivem na mesma frase. Um é indissociável do outro. O que nasceu primeiro foi protagonista e impulsionador do segundo.

A visão Democrática de Castiglioni sobre a produção industrial influenciou no Pós-guerra o advento do Design italiano.

Castiglioni  nasceu em Milão em 1918.  Filho de um escultor, era o irmão mais novo de três homens. Todos eram ligados à Arquitetura e ao desenho.

Trocou  os estudos clássicos pelas artes.  Era antes de qualquer outra coisa um homem apaixonado por objetos e com uma curiosidade imensa sobre o mundo.  A observação era a sua maior ferramenta de trabalho.

Banco Allunaggio e mesinha Cumano, Zanotta

Trabalhou em trio com os irmãos Pier Giacomo e Livio Castiglioni durante décadas e em 60 anos de carreira assinou quase 300 desenhos. Com eles ganhou 9 Compassos de Oro, o maior galardão atribuído ao Design italiano.

Várias peças de Iluminação, mobiliário, e acessórios de sua autoria se tornariam ícones.

Foi também professor de Desenho industrial no Politécnico de Milão, influenciando várias gerações de criadores que hoje são nossos contemporâneos.

Este ano comemorando o centenário do seu nascimento, a fundação homônima planejou uma série de eventos, entre eles a inauguração de uma exposição com o título 100 x 100 Achille. Nessa mostra são reveladas suas criações mais representativas.

Marcas como a Zanotta com a qual Castiglioni teve uma longa parceria estão apresentando também este ano duas edições especiais do mestre.

Floreiras Albero, Zanotta 

A floreira ‘Albero’ desenhada em 1983 e que agora é editada com 4 cores surpreendentes e a mesinha de apoio ‘Servomuto’ de 1974 foi produzida com uma altura um pouco maior do que a versão original e também com novos tons.

O carácter visionário da obra de Achille Castiglioni garantiu a longevidade da sua criação que hoje ganha o título de ícone do Design.

 

Imagem de destaque: Banco Sella e mesinha Joy, Zanotta 

 

Assinatura: QuartoSala – Home Culture