Em um domingo de inverno, com seis graus negativos nas ruas de Viena, nada como tomar um reconfortante e saboroso chocolate quente. E onde vamos sentar? Num típico café vienense, claro.

Os cafés da capital austríaca fazem parte, desde 2011, da lista de Patrimônio Imaterial da Humanidade. Foram eleitos pela UNESCO- A organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura.

Hideout Lounge chair, Front 

As cadeiras tipicamente usadas nestes cafés integram esse legado histórico.

Foram desenhadas em  1850, por Michael Thonet para as salas do Palácio barroco de Schwarzenberg, em Viena, numa tentativa de deixar de fora a madeira colada.

O grande diferencial das cadeiras Thonet é a madeira curvada a vapor de água e torneada em moldes metálicos, antes de secar.

Michael Thonet patenteou esse processo e em plena revolução industrial na Europa, as cadeiras Thonet ‘pegaram carona’ da produção em série,  cumprindo um dos seus grandes objetivos: o  de massificação.

Chair Nº1, Michael Thonet 

O primeiro modelo em madeira curvada e assento em palha entrelaçada ficou conhecido como Chair nº1. Tal foi o seu sucesso, que essa cadeira foi rebatizada como Thonet ou cadeira Vienense. Está em produção continua há mais de um século.

Depois dela vieram modelos similares, até à nº14 datada de 1860, e ainda assinada por Michael Thonet.

A seguir, muitos arquitetos e designers célebres no panorama vienense desenharam outros modelos e o  mobiliário Thonet transformou-se num ícone do Design do Séc. XIX.

Depois da 2ª guerra mundial, os bisnetos de Michael Thonet pegaram a empresa familiar e a recomeçaram.

Chignon, Lucidi Pevere

Em 1976, a marca renasce com a designação de Gebrüder Thonet Vienna, acrescentando a cidade de nascimento ao nome da marca, e cruzando essa herança história com a visão de alguns arquitetos e designers contemporâneos.

Hoje, a marca se renovou verdadeiramente. Na 5ª geração da família Thonet há mais de 20 modelos de cadeiras que são consideradas clássicos, e que além de povoarem os mais típicos cafés vienenses acabariam por contaminar muitas outras esplanadas além fronteiras inspirando modelos similares.

Hoje em dia, as duplas internacionais  como as Front, os Gam Fratesi e os Lucivi Pevere, ou ainda os designers Gordon Guillaumier, Michele de Lucchi e Nigel Coates trazem um traço algo mais excêntrico, mas que honra a matriz da marca: a madeira curvada, com todo o seu charme e elegância!

Assim nasceram nas últimas décadas novas peças como bancos, sofás e acessórios com o ADN Thonet mas com um ‘Twist’ vanguardista.

E então, vamos nos sentar?

 

Foto de destaque: Cadeiras Malit, Gordon Guillaumier e mesa Arch Dining table, Front 

 

Assinatura: QuartoSala – Home Culture