Uma marca conta uma história e com a Bossa Nova Sotheby’s Internacional Realty não é diferente. Ela já nasce atrelada tanto a casa de leilões Sotheby’s, fundada em 1744, quanto a Sotheby’s International Realty, fundada em 1776, ambas em Londres, com o compromisso de levar a mesma excelência da tradicional casa de leilões ao mercado de imóveis.

A comunicação com um público específico e o mundo contemporâneo exigem que a marca busque transitar “fora de si”, que proporcione experiências de marca. Assim, ao propor alguma manifestação diferente, um desdobramento, a marca fica atenta que seja coerente com sua própria identidade.

Portanto, justifica se a ideia de iniciar um projeto cultural na empresa, que já se esboça, desde 2017, quando em sua sede foi organizada uma pequena mostra com as gravuras de Sacilotto, por ocasião da exposição de Mondrian, no Centro Cultural Banco do Brasil, pois havia um diálogo entre estes artistas.

Em 2018, a Bossa Nova SIR alinhada à campanha internacional VIVA,  inicia o VIVA ARTE, que conta com a curadoria geral de Elisabeth Leone, head de cultura da produtora Se Joga Beth, responsável pelo projeto. A proposta é a de promover diferentes atividades culturais, em sua sede de São Paulo, como mostras de artes plásticas e ou talks sobre assuntos que interessem tanto a seu público interno quanto ao externo. 

O primeiro evento, o VIVA ARTE I foi inaugurado no dia 05.04.2018 e permaneceu por três meses. Foi uma exposição coletiva de arte contemporânea, com artistas representados pela Galeria Verve, como Giovana Nucci, Dudu Garcia, Luiz Martins, dentre outros. Foram organizadas visitas guiadas, com a presença do curador da mostra e proprietário da galeria, Ian Duarte, tanto para os corretores quanto para o público agendado. Para a empresa, este convívio e aproximação com o universo artístico impacta o ambiente de trabalho e o torna muito mais alegre e participativo.

Já, o VIVA ARTE II, foi uma roda de conversa, inspirada na exposição inédita que a Pinacoteca do Estado de São Paulo apresentou da artista sueca Hilma af Klint (1862-1944), que a seguir foi para o MOMA.  Com o título As Cores, Formas e o Design Interior, participaram do talk profissionais de diferentes áreas do conhecimento, para refletir sobre a criação de uma imagem como forma contemplativa. 

Foram convidados: Luciana Pinheiro, autora do primeiro livro em língua portuguesa sobre Hilma af Klint, As Cores da Alma; Charlie Barnett, idealizador e diretor do Yoga Flow e Rui Afonso, doutor em Neurociência do Hospital Israelita Albert Einstein, um dos autores de um estudo sobre a prática de yoga para  prevenir problemas comuns do envelhecimento. A mediação foi feita pela Renata Veneri, jornalista, apresentadora e colunista do programa de rádio BandNews.

O VIVA ARTE III, foi uma ambientação feita em 10/07, pelo 4 ART Escritório de Arte, para comemorar o início de suas atividades, selar a união entre quatro marchands que já trabalham na área há anos: Hilda Araújo e Roberta Araújo Pereira Lima, Rejane Tacchi e Sérgio Gonçalves. 

Telas, esculturas, fotos e gravuras povoam o espaço empresarial, tanto de jovens talentos quanto de artistas já conhecidos. Dentre os jovens, mas não iniciantes, obras de José Munhoz, Duda Rosa e outros. Quanto aos consagrados, trabalhos de Sacilotto, Arcangelo Ianelli e Carlos Araújo. Nos objetos escultóricos, as possibilidades da diversidade de materiais: Dan Fialdini trabalha o mármore de Carrara, José Bento a madeira, Mary Carmen Matias a fibra de vidro e Breseghello e Paulo de Tarso utilizam o aço carbono.

Para o período de setembro/outubro de 2019, o VIVA ARTE IV apresenta uma individual do fotógrafo belga, radicado em São Paulo, Tinko Czetwertynski. Ele faz sua primeira exibição solo no Brasil, em 2012, depois de um tour que inclui Dubai, Bruxelas, Florença, Madri, além de Paris, Londres, New York e São Paulo.

Quando não está fotografando publicidades de grandes marcas em Milão, ou fazendo retratos das famílias reais do Oriente Médio, ele percorre o Brasil, vai para a Amazônia, dedica-se a exaltar a natureza. 

Nesta mostra que se intitula Azur, o artista preparou 16 trabalhos e nos faz ver, através de seu olhar, a diversidade do azul, encontrado em nosso céu e em nosso mar. Estão selecionadas obras de 3 séries: “Rieau”, “L’homme de Rio” e “Brasil”. A exposição ficará de 10/09 a 10/11 de 2019.

Investidores, empresários, clientes, público interno e fornecedores de uma empresa, não são mais meros espectadores passivos das manifestações que a marca que representam propõe no mercado. Hoje, todos têm papel ativo no ambiente empresarial e suas avaliações, positivas ou negativas, são levadas em consideração. No caso do Viva Arte, apesar de seu breve tempo de vida, o projeto parece bem acolhido e, assim sendo, que venham as próximas edições!