Solução oferecida pela CrediHome deve reduzir o processo, que está em 35 dias, para um período de 5 a 15 dias

A orientação da Organização Mundial de Saúde (OMS) em meio a pandemia da covid-19 é de distanciamento social e permanecer em casa, na medida do possível. O Valor Investe já te mostrou nesta reportagem como a paralisação da economia está afetando o mercado imobiliário e um entrave importante para quem já deu o pontapé para compra de um imóvel é o fechamento dos cartórios.

Para agilizar esse processo, a CrediHome, plataforma digital de soluções de crédito, fez uma parceria com 10 cartórios da capital paulista para encurtar um dos processos mais analógicos e demorados do ciclo tradicional da compra da casa própria, especialmente com a quarentena.

Com os registros eletrônicos, o tempo estimado para o processo cai cerca de 40%.

“Há cartórios fechados e outros que funcionam apenas duas horas por dia em virtude do coronavírus. Um processo que já levava cerca de 20 dias está levando em média 35 dias. Com o registro eletrônico, o contrato segue para análise como arquivo digital assim que assinado. O tabelião pode fazer, analisar e devolver o documento de forma remota, a partir de qualquer lugar, encurtando o intervalo para 5 a 15 dias”, explica Bruno Gama, CEO da CrediHome.

Em teste desde fevereiro, a solução começa a ser oferecida neste mês para os clientes da CrediHome em parceria com 10 cartórios habilitados para processar os registros eletronicamente.

A etapa cartorial é um dos últimos gargalos do mercado imobiliário para permitir que o processo de crédito no setor possa ser feito 100% de forma on-line.

O objetivo da CrediHome é começar pela capital, que detém maior concentração do mercado imobiliário, e gradualmente expandir o modelo de registro eletrônico em cartório para as demais praças de atuação da startup.

“Acreditamos que o cenário atual possa favorecer a aceleração da digitalização dos cartórios deixando um importante legado para a cadeia imobiliária”, avalia Gama.

Fonte: Valor Investe