Imagine ter uma aula de história sobre antigas civilizações em meio a ruínas na Grécia. Ou despertar para os ensinamentos budistas num monastério do Butão, reino encravado no Himalaia. Esses roteiros diferenciados caracterizam as chamadas viagens de conhecimento, que vão além do entretenimento.

Não são muitas as empresas que organizam e promovem esse tipo de viagem no Brasil. A Latitudes, agência de São Paulo, é pioneira no segmento de viagens de conhecimento no país. “A ideia não é vender um pacote turístico pura e simplesmente. Uma viagem de conhecimento foca em proporcionar experiências de aprendizado e enriquecimento interior”, conta Alexandre Cymbalista, sócio-diretor da empresa.

A concepção de transformar viagens em experiências transformadoras surgiu nos anos 1990, quando Alexandre começou a viajar pela Ásia com grupos de estudo de filosofias e práticas orientais. “Eram pessoas que buscavam mais do que passeios turísticos, tinham o desejo do saber, de aprender”, lembra. Com o tempo a demanda por esse tipo de roteiro aumentou. Hoje, a agência oferece roteiros com essas características para vários lugares do mundo.

Um dos destaques é a expedição “Grandes Impérios da Humanidade”, que passa por oito países. Uma espécie de volta ao mundo em 25 dias. Após concentração de uma noite no Palácio Tangará, em São Paulo, o grupo segue para o México, terra de valiosos sítios arqueológicos. Depois passa pelo Havaí, nos Estados Unidos, Japão, China, Índia, Irã, Itália e Marrocos, antes da volta ao Brasil. A próxima expedição será em março de 2018.

No roteiro, destinos que não fazem parte de programas turísticos tradicionais, mas que têm grande valor de aprendizado para os viajantes, como Lijiang, no interior da China, e a indiana Jodhpur. Locais onde viveram civilizações que deixaram como herança um rico patrimônio histórico e cultural. O perfil das pessoas que embarcam nesta viagem não é o de um PhD em alguma área. “São interessados em adquirir conhecimentos que possam transformar suas vidas”, explica Alexandre.

A expedição “Grandes Impérios da Humanidade” é feita em um Boeing 757-200, originalmente com capacidade para levar mais de 200 passageiros, mas que foi remodelado para 50 pessoas. Os voos são diretos entre os destinos, sem filas em aeroportos para check-in ou despacho de bagagens. A hospedagem, sempre em hotéis de altíssimo padrão.

“É uma viagem que leva até dois anos para ser preparada e conta com suporte da nossa equipe aqui no Brasil e de parceiros locais”, destaca Alexandre. O investimento fica em US$ 138 mil ou cerca de R$ 440 mil por pessoa.

Outra característica que diferencia uma viagem de conhecimento são os especialistas que acompanham a jornada. São professores, historiadores, jornalistas, mestres e doutores em diferentes ramos do conhecimento que seguem os aventureiros por toda a viagem. No caso da Latitudes, por exemplo, são nomes como Leandro Karnal, Luiz Felipe Pondé, Plinio Gomes e Lourival Sant´anna. “O trabalho dos especialistas é cuidar do conteúdo transmitido aos viajantes, promovendo o debate, o aprendizado e a interação social entre as pessoas”, afirma Alexandre. Uma experiência única que transforma o prazer de viajar em conhecimento para a vida toda.