Considerado um dos expoentes do modernismo no Brasil, o artista plástico Emiliano Di Cavalcanti (1897-1976) está sendo homenageado com uma retrospectiva que reúne, na Pinacoteca, obras pertencentes a acervos nacionais e internacionais.

Quadros raros, como “Samba” (1927), que pertenceu ao diplomata mexicano Luís Quintanilha e ficou fora do Brasil por quase 80 anos, será apresentado ao público junto a charges e ilustrações que revelam áreas de atuação pouco conhecidas do artista. Cerca de 200 obras estarão expostas no museu.

A atuação política do carioca também é destacada na exposição. De acordo com o curador da mostra, José Augusto Ribeiro, ao fugir da representação do trabalhador como homem forte, o artista lutou para dar voz aos oprimidos.

A mostra está aberta até o dia 22 de janeiro de 2018, das 10 h às 17h30. Livre. Ingressos a R$6. Maiores de 60 anos, menores de 10 anos e sábado: entrada grátis.