A mudança de hábitos do brasileiro, que passou a manter uma rotina de trabalho home-office e a reunir amigos em suas próprias residências, contribuiu para que os espaços gourmets em casas e apartamentos deixassem de ser uma opção para ser uma exigência.

O conceito de espaços gourmets surgiu no final da década de 1980 e início de 1990, quando a criação de ambientes integrados passou a possibilitar a realização de várias atividades num mesmo lugar. De lá para cá, as áreas de convívio social se tornaram o lugar preferido da casa.

“Soma-se a isso a cultura brasileira de se reunir ao ar livre para cozinhar e confraternizar, transformando as varandas, que antes serviam apenas para contemplar paisagens, num ambiente essencial”, explica o arquiteto Felipe Luciano, do Estúdio+FCK.

Além de varandas, é comum a integração do espaço gourmet à sala, à área de lazer, como nas piscinas, ao jardim ou ao terraço. As cozinhas também são planejadas para receber visitas, principalmente quando o anfitrião adora vestir o avental e bancar o “chef”. “A área da cozinha, que antes era restrita e escondida, passou a ser local de descontração”, diz a arquiteta Isabella Meneses, do INN Arquitetura.

A expansão deste conceito, no entanto, não ocorreu devido à procura dos proprietários. Muito antes de chegar ao Brasil, os espaços gourmets já existiam nos Estados Unidos. A novidade chegou por aqui quando as construtoras e incorporadoras resolveram investir nesses ambientes como forma de aperfeiçoar os seus projetos. E hoje é uma tendência sem volta do mercado imobiliário. “Cada vez mais os compradores aderiram a essa ideia e, atualmente, os espaços gourmets passaram a ser indispensáveis”, explica Isabella.

 

Estilo, conforto e praticidade

O espaço gourmet é um ambiente que permite decoração bastante flexível, capaz de agregar personalidade e descontração. Lembrando que o mais importante é oferecer conforto e praticidade. Na hora de montar esse espaço, principalmente se a instalação será feita em apartamentos, é preciso escolher atentamente os móveis e objetos decorativos.

Segundo o arquiteto Felipe Luciano, “é fundamental usar tecidos e mobiliários que tenham maior resistência à exposição, a possíveis acidentes com alimentos e bebidas. O uso de fibras sintéticas e madeiras envernizadas são bem-vindas”, aconselha. Além de produtos resistentes, deve-se optar por itens práticos, de fácil utilização.

Os equipamentos em espaços gourmets vão de churrasqueiras e cooktops até fogão a lenha e fornos de pizza. Para a instalação de churrasqueiras em apartamentos, é fundamental verificar se há infraestrutura para a exaustão da fumaça, assim como pontos hidráulicos para pias de apoio.

 “O espaço gourmet é propício ao calor, portanto, ventilação e climatização são fundamentais. Pela privacidade, pode-se recorrer a persianas solares que, além de bloquearam parte do sol, mantêm o ambiente iluminado”, recomenda Priscila Tressino, do PB Arquitetura.

A tendência é integração e convivência. “As pessoas querem um lugar para acomodar suas visitas, que pode ter um balcão com banquetas ou mesas longas com cadeiras e bancos”, diz Priscila. Há ainda variações que incluem TVs ou telões e projetos sofisticados de áudio e vídeo controlados pelo celular. Aos amantes de uma bebida bem gelada, chopeiras e frigobar, não podem faltar, assim como adegas para os enófilos de plantão.